Notícias do setor farmacêutico

Vacina consegue proteger roedores

25

Foram divulgados ontem resultados dos testes preliminares, em ratos, com a vacina para a covid-19 desenvolvida pela empresa americana Moderna. Os dados, publicados na revista especializada Nature, revelaram que o imunizante protegeu camundongos da doença. Os ensaios com humanos acontecem concomitantemente aos experimentos usando animais devido à crise sanitária, em uma tentativa de acelerar os estudos científicos.

Os resultados com os roedores mostram que a mRNA-1273 induziu a produção de anticorpos neutralizantes quando administrada por meio de duas injeções intramusculares, cada uma com dose de 1 micrograma (mcg), com três semanas de intervalo. Os autores do trabalho ressaltaram que os resultados foram os responsáveis para que a fórmula pudesse também ser testada em humanos. Nesse caso, os pesquisadores conduzem a última fase dos testes clínicos, quando a fórmula é aplicada em um número maior de voluntários.

Os cientistas também enfatizaram que pesquisas que conduziram anteriormente — as voltadas para o desenvolvimento de uma vacina para o Mers-CoV, coronavírus responsável pela síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers) — pavimentaram o caminho para o desenvolvimento da mRNA-1273. “Essa é uma demonstração de como o poder de novos conceitos baseados em tecnologia, como a vacinologia sintética, facilita um programa de desenvolvimento de vacinas que utiliza basicamente sequências de patógenos”, escreveram no artigo.

Apoio do governo

A vacina desenvolvida pela Moderna foi projetada com a tecnologia de DNA. Nela, os cientistas, em vez de usarem pedaços do vírus, recorrem a partes do material genético do patógeno para estimular o organismo a produzir anticorpos. O projeto é um dos que receberam apoio financeiro do governo dos Estados Unidos, que adotou uma política bilionária em busca de uma fórmula contra a novo coronavírus.

Ontem, o governo americano anunciou um novo investimento de US$ 1 bilhão no projeto conduzido pelo grupo farmacêutico Johnson & Johnson. A quantia foi oferecida em troca da garantia de acesso a pelo menos 100 milhões de doses da vacina contra a covid-19 caso ela tenha o efeito esperado.

A nova contribuição financiará um projeto de demonstração de fabricação em larga escala da fórmula experimental. Com esse último investimento, o governo de Donald Trump contabiliza pelo menos US$ 9,4 bilhões para projetos de candidatas a vacina contra a covid-19.

» Canadá entra na corrida

O Canadá anunciou dois acordos com a Moderna e a Pfizer para comprar milhões de doses das fórmulas de imunização em desenvolvimento. O governo canadense também mantém negociações com outros potenciais fornecedores, informou a ministra de Serviços Públicos e Abastecimento do Canadá, Anita Anand. As vacinas devem ter a aprovação dos reguladores de saúde canadenses antes que possam ser distribuídas entre a população, acrescentou ela. No entanto, a principal autoridade canadense de saúde pública alertou, na terça-feira, que a vacina, apesar de ser “um aspecto muito importante da resposta” à pandemia, não trará consigo uma rápida conclusão ao surto de coronavírus.

Fonte: Correio Braziliense

Leia também:

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.
document.querySelectorAll('.youtube a').forEach(e=>{e.href = "https://youtube.com/user/partnersupport" })