Notícias do setor farmacêutico

IPO da Elfa: distribuidora de medicamentos quer acelerar aquisições

85

Com investimento em tecnologia a Elfa Medicamentos quer usar os recursos do IPO para expandir seu negócio e a base de clientes. Com trinta anos de atuação no mercado da saúde, a Elfa Medicamentos planeja fazer sua estreia na bolsa ainda neste ano. A empresa é responsável pela distribuição de medicamentos, produtos médicos e hospitalares de alta complexidade produzidos por mais de 400 fabricantes.

Com investimento em tecnologia e um grande apetite por comprar concorrentes e outras empresas do setor de saúde, a Elfa quer usar os recursos do IPO para expandir seu negócio e a base de clientes. Parte dos recursos levantados serão, no entanto, destinados aos acionistas, entre eles, o fundo de private equity Pátria.

A tese da empresa é de que esse crescimento virá, principalmente, do envelhecimento da população brasileira. A estimativa é de que nas próximas três décadas, cerca de 20% da população estará com mais de 65 anos de idade.

Assim, a longo prazo, as estratégias da Elfa contemplam atender, cada vez mais, essa fatia do mercado.

Aquisições e incorporações

A Elfa entrou, assim, nos últimos anos num ritmo de crescimento via aquisições. Foram sete ao todo. “Nossa estratégia de expansão incluiu e continuará a incluir a aquisição de outros participantes do mercado”, assim, afirmou a companhia no prospecto preliminar da oferta.

Em 2016, a Elfa comprou a Jaw, uma empresa focada no mercado de distribuição de medicamentos e materiais hospitalares localizada nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Em 2017, foi a vez da Cristal Pharma e Ciência Medicamentos serem incorporadas. A empresa originária de Belo Horizonte, especializada em comércio e distribuição de medicamentos genéricos para Minas e Bahia fortaleceu, então, a marca e aumentou o mix de produtos.

Em 2018 ocorreu a aquisição da Majela Medicamentos, uma das mais importantes distribuidoras de medicamentos do Nordeste do Brasil. E, em 2019, foram duas novas as aquisições: a Ágilfarma, farmácia especializada em medicamentos especiais como fertilidade, oncologia e hormônios de crescimento, que atua nas cidades de Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba. E o Grupo CDM, distribuidora especializada em medicamentos genéricos com Operação Logística de Distribuição Seletiva.

Contudo, as compras não pararam.

Só neste ano, a Elfa adquiriu Salus Latam Holding, a Comercial Mostaert, bem como a Fenergy Comércio de Produtos Médico Hospitalares e a Surya Dental Comércio de Produtos Odontológicos e Farmacêuticos. Com base de clientes sendo hospitais e clínicas, hoje a Elfa tem 11,4% do market share.

Estratégia de negócios

Hoje, o grupo tem um total de cinco marcas: Elfa, Majela Medicamentos, Cristal Pharma, Prescrita Medicamentos, Afilfarma, Grupo CDM, Medcom e Jaw. São seis unidades de negócio e 20 centros de distribuição espalhados por sete estados.

“Nosso posicionamento estratégico com alcance e escala em todo o território nacional nos capacita a oferecer soluções completas e ágeis aos nossos clientes, assim, realizando entregas de emergência em poucas horas nos locais em que temos centros de distribuição e entregas convencionais em até 24 horas”, explica a empresa no prospecto preliminar.

A atuação da Elfa é dividia em três áreas:

Medicamentos: o grupo vende e distribui medicamentos éticos e genéricos dos maiores laboratórios do mundo, contando com 120 parceiros comerciais que atende mais de 3200 clientes em todo o País.

São mais de 1500 itens distribuídos;

Materiais: comercialização e distribuição de grandes marcas de materiais médicos hospitalares e uma vasta linha de produtos descartáveis;

Serviços: serviços personalizados de logística hospitalar. A Elfa faz o gerenciamento completo de todo o estoque dos clientes para que eles possam ter mais tempo para focar no core business do seu negócio. Além disso, o Grupo Elfa também tem investido, também, em inovação para atender às demandas da indústria 4.0.

Um exemplo foi a primeira entrega de medicamentos feita por meio de um drone, em 2019. Agora o grupo estuda os tipos de medicamentos que poderão ser transportados por drones. A expectativa é que o modal esteja em operação em até três anos, fazendo entregas em clínicas e hospitais.

Alguns números da empresa

A Elfa reportou, no entanto, um lucro líquido de R$ 39,5 milhões em 2019, ante R$ 60,5 milhões em 2018. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado totalizou R$ 104,7 milhões em 2019, valor maior do que os R$ 78,5 milhões de 2018 e os R$ 54,4 milhões de 2017. A margem Ebitda foi de 5,7% no ano passado, contra 5% em 2018. A receita líquida foi de R$ 1,8 bilhão em 2019. Ou seja, houve um aumento em relação aos outros anos: R$ 1,5 bilhão (2018) e R$ 1,07 bilhão (2017).

A empresa encerrou 2019, portanto, com uma dívida líquida de R$ 199,3 milhões.

O IPO da Elfa

O pedido de IPO da Elfa foi protocolado no dia 13 de agosto. Todavia, a empresa quer participar do Novo Mercado da B3. Mas ainda não há detalhes sobre prazos e valores do IPO. Portanto, a oferta será primária (recursos para o caixa da empresa) e secundária (quando os acionistas vendem parte das participações). Os coordenadores são o Banco Santander, o Itaú BBA , o BTG Pactual, a XP Investimentos e o Morgan Stanley.

Dessa forma, o público alvo da oferta são investidores não institucionais e institucionais, nacionais e internacionais. O capital social da empresa é de R$ 834,5 milhões, dividido em 465.694.714 ações ordinárias. Os principais acionistas são os fundos geridos pelo Pátria, com 86,33%; JMV, com 4,29%; acionistas da Medcom, com 6,2%; e os fundadores da Elfa, com 3,16%. De acordo com a Elfa Medicamentos, os recursos levantados por meio do IPO serão direcionados para aquisições de empresas do seu setor de atuação; reforço de estrutura de capital e liquidez.

Fonte: Portal Fusões e Aquisições

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.
document.querySelectorAll('.youtube a').forEach(e=>{e.href = "https://youtube.com/user/partnersupport" })