Notícias do setor farmacêutico

Guedes: governo está superendividado; tem que voltar à trilha de reformas

16

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reiterou nesta quarta-feira, 18, a promessa de derrubar a partir do ano que vem a dívida pública como proporção do Produto Interno Bruto (PIB), enfatizando também que o governo não vai permitir uma evolução do endividamento em bola de neve.

Ao participar de premiação da revista Exame, o comandante da equipe econômica apontou o “superendividamento” do governo brasileiro para defender o avanço da agenda de reformas.

“O governo brasileiro está superendividado … Tem que voltar à trilha das reformas”, afirmou Guedes, prometendo, no mesmo evento, colocar um freio na escalada da dívida pública após a explosão dos gastos no combate à pandemia.

“Não vamos nos endividar em bola de neve. A dívida só subiu por conta da covid-19. No primeiro ano do governo 2019, derrubamos a relação divida/PIB. Vamos em 2021 derrubar a dívida/PIB de novo”, assegurou enfaticamente o ministro da Economia.

Durante o evento, do qual participou com um vídeo gravado, Guedes reafirmou que o governo segue um programa liberal-democrata e não vai aumentar impostos. Sobre o tema, repetiu que a intenção é desonerar a folha salarial das empresas, onde recai uma tributação que funciona como, conforme classificou, uma “arma de destruição em massa de empregos”.

Ao salientar que o Brasil vai conseguir escapar da armadilha do baixo crescimento, Guedes apontou as atualizações de marcos regulatórios promovidas durante o governo como o detonador de um “choque de investimentos” na área de infraestrutura.

“Nosso desafio é transformar a onda de consumo que tirou o Brasil do choque da covid em crescimento autossustentável, já a partir do ano que vem, em cima dessa onda de investimento e modernização do marco regulatório.”

O ministro afirmou também que o Brasil pode surpreender os analistas que projetam hoje crescimento entre 3% e 4% da economia no ano que vem.

Ao comemorar mais uma vez o que ele vem chamando de recuperação econômica em “V”, Guedes considerou eficazes as medidas do governo que consumiram o equivalente a 8,2% do PIB.

“Em três meses fomos ao inferno, em três meses estamos voltando à normalidade… Após o terrível pesadelo que foi a pandemia, o Brasil está voltando”, assinalou o ministro, que também reforçou a mensagem de que o governo iniciou o processo de desmonte dos estímulos fiscais lançados na pandemia.

Fonte: IstoÉ Dinheiro

Você pode gostar também

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.
document.querySelectorAll('.youtube a').forEach(e=>{e.href = "https://youtube.com/user/partnersupport" })