Notícias do setor farmacêutico

Inteligência Artificial ajudará pessoas a identificarem risco para pré-diabetes via rede social

302

Inteligência Artificial – A Merck, empresa líder em ciência e tecnologia, anuncia parceria com a Gyant, solução digital e de Inteligência Artificial (IA) para sistemas de saúde. O objetivo é aumentar a conscientização sobre o pré-diabetes e realizar uma triagem nos pacientes para identificação de possíveis fatores de risco.

Siga nosso Instagram

A ação se dará em formato de chatbot, alocado no Facebook da Gyant, por meio de perguntas sobre hábitos de vida e histórico familiar que permitem avaliar se o paciente tem potencial para desenvolver a condição. No final do bate-papo, os pacientes receberão informações gerais sobre a doença e aspectos relacionados.

A estimativa é que quase 15 milhões de brasileiros convivam com pré-diabetes no Brasil2, condição que, se identificada, pode ser tratada e evitar uma evolução ao diabetes tipo 21. “Esse é mais um esforço da Merck para conectar os pacientes a soluções para seus problemas. Por conta da pandemia do coronavírus, o paciente tem medo de ir até um consultório para fazer apenas uma consulta de rotina e isso pode acarretar em um atraso nos diagnósticos. Com o Gyant, é possível realizar uma triagem de casa mesmo, aumentar o diagnóstico precoce e tratar o pré-diabetes antes que ele traga mais complicações à saúde”, afirma Luiz Magno, diretor médico na Merck no Brasil.

O termo pré-diabetes é utilizado para definir a categoria de risco aumentado para o desenvolvimento do diabetes mellitus. A sua identificação é feita pela medição dos níveis de glicose no sangue (glicemia): quando estão mais altos do que o considerado normal, porém não o suficiente para estabelecer um diagnóstico de diabetes3.

Estima-se que cerca de 70% dos indivíduos com glicemia de jejum alterada e/ou tolerância à glicose diminuída, quando não tratados, desenvolvem o diabetes mellitus tipo 2 (DM2)4.

Importante destacar que obesos, hipertensos e pessoas com alterações nos lipídeos estão no grupo de risco, e o tratamento do pré-diabetes é especialmente relevante por ser capaz de retardar a evolução para o diabetes e suas complicações.

A parceria da Merck com o Gyant para ajudar no aumento da busca do diagnóstico de pré-diabetes se deu por conta do sucesso da plataforma em outros momentos no Brasil. A plataforma já ajudou mais de 400 mil pessoas a investigar sintomas de zika, dengue, gripe, enxaqueca e outras doenças com alta incidência.

Fonte: Saúde Business

Veja também: Brainfarma está com novas vagas abertas em Anápolis

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.