Notícias do setor farmacêutico

Mercado da beleza masculina tem potencial para deslanchar em 2021

142

Mesmo com as restrições impostas pela pandemia, o mercado da beleza demonstra que tem potencial para se manter aquecido. Somente no ano passado, 1,2 milhão de empresas foram formalizadas no setor.

Nos últimos anos, o surgimento de um novo conceito de barbearias tem atraído oportunidades de novos negócios no ramo, a partir de mudanças socioculturais em relação à beleza masculina.

De acordo com a analista de competitividade do Sebrae, Andrezza Torres, nos últimos 10 anos, o segmento de serviços de embelezamento amadureceu muito, bem como a indústria de cosméticos. Segundo ela, as diferentes ondas que surgiram no mercado ao longo dos anos, seja com as esmalterias, barbearias, serviços de sobrancelhas e depilação a lazer, por exemplo, têm favorecido o aquecimento do setor. A mudança de comportamento dos homens em relação à beleza também sofreu transformações, o que tem favorecido uma ascensão do mercado de embelezamento voltado para o público masculino.

Um exemplo disso são as barbearias que, apesar de existirem há séculos, foram se tornando cada vez mais atrativas a partir de modificações profundas em seus modelos de negócios.

“No começo dos anos 2000, surgiu a expressão metrossexual para denominar os homens vaidosos e o jogador David Beckham foi um símbolo desse movimento. Com o passar do tempo, vimos que a vaidade masculina foi se tornando algo mais natural. A própria barba voltou a ser considerada um estilo em alta para os homens que começaram a exigir cuidados diferenciados, inspirados em novos designs da barba e cabelo, por influência de muitos atletas e até mesmo cantores sertanejos”, lembrou a analista.

Segundo ela, as novas barbearias evoluíram em vários aspectos, a começar pelo espaço físico e a oferta de mais serviços que agregaram valor ao negócio.

Inovações como jogos, venda de cervejas especiais, entre outros atrativos despertaram a atenção de novos perfis de clientes. Com isso, os empresários conseguiram aumentar o ticket médio dos atendimentos ao público masculino, que comparado ao feminino é tradicionalmente menor.

“Em geral, os homens procuram serviços de corte de cabelo, barba e unhas, que possuem custos menores. A grande sacada foi oferecer um mix de produtos, seja uma cerveja artesanal ou até mesmo itens para home care, para um cuidado em casa com óleos e hidratantes mais sofisticados. Tudo isso tem garantido uma performance financeira bem interessante para os pequenos negócios que atuam no segmento”, contou.

De acordo com a analista do Sebrae, a expectativa é que o segmento de embelezamento só volte a alcançar o faturamento do período pré-pandemia a partir do 2º semestre do ano.

“Não podemos esquecer que as orientações a respeito dos cuidados sanitários continuam valendo e com eles as medidas que restringem – por exemplo – o atendimento simultâneo de muitos clientes. Apesar disso, já podemos observar uma recuperação dos pequenos negócios quando comparamos o faturamento atual e o registrado nos momentos mais críticos da pandemia”, ressaltou.

De acordo com as pesquisas realizadas pelo Sebrae, em parceria com a FGV, em um primeiro momento as perdas no faturamento no setor de embelezamento chegaram a 89%. Atualmente, o monitoramento aponta que já houve uma ligeira recuperação, com uma receita que, em média, encontra-se em torno de 50% quando comparado ao período anterior à crise.

Fonte: Jornal Diário do Comércio – SP

Leia também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2021/02/19/unifabra-atinge-top-10-de-faturamento-no-varejo-farmaceutico/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

Perdeu sua senha? Digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por e-mail.