O maior canal de informação do setor

Alemã Cosnova Beauty chega ao Brasil para disputar mercado de beleza

573

Depois de cinco anos estudando o mercado brasileiro, a alemã Cosnova Beauty iniciará a distribuição de cosméticos da marca Essence. Fundada há 16 anos por ex-funcionários da francesa Coty, a empresa obteve receita de 424,9 milhões de euros em 2017 e atua em 80 países.

Com preços populares, a multinacional encontra no Brasil uma concorrência acirrada em um setor que prevê expandir 3,8% neste ano e movimentar R$ 8,63 bilhões.

A estratégia da multinacional é vender os produtos em perfumarias, drogarias e lojas de departamento. Nas próximas semanas, esmaltes, batons, sombras, lápis e base líquida estarão nas redes Loretta e Sumirê, em São Paulo. Foram assinados contratos com a RaiaDrogasil e com a loja virtual Beleza na Web.

Estão ainda no radar da alemã Cosnova Beauty as varejistas, como Marisa, Riachuelo e Renner.

Com preços populares, que partem de R$ 5,90, para esmalte, até R$ 42,90, para base líquida, a Cosnova terá como principais rivais a Vult Cosmética, adquirida pelo Grupo Boticário em março deste ano, e a Dailus, com presença forte em perfumarias e drogarias. Mas devido aos itens vendidos, também vão disputar consumidores com marcas como Natura, Avon e O Boticário.

Lourenço Piteli, diretor-geral da Cosnova no Brasil, diz que a ambição é tonar esta operação uma das maiores da companhia

Lourenço Piteli, diretor-geral da Cosnova no Brasil, não revela investimentos, mas diz que a ambição é tonar esta operação uma das maiores da companhia. “Em 2013, chegamos à América Latina e já estimamos deter 10% de participação em volume no Chile. São vendidas cerca de 4 milhões de peças no país”, disse o executivo, apontando que a companhia cogita fabricar itens aqui  no futuro.

O espanhol Javier González, fundador da Cosnova, participou de todo o planejamento e veio algumas vezes ao país para conhecer melhor o mercado. A alemã Christina Oster-Daum também é sócia da multinacional, que tem 300 funcionários no mundo. Na Europa, 90% dos produtos são vendidos a preço médio de 2 euros.

Dados da Euromonitor International apontam que a multinacional alemã vendeu US$ 6,718 milhões na América Latina durante o ano passado, com avanço de 8,9%. Nos Estados Unidos, onde também foi constituída uma subsidiária em 2008 — nos demais países são apenas operações de distribuição —, as vendas de maquiagens somaram US$ 16,793 milhões, alta de 6,8%.

O executivo afirmou que fatores como agilidade de distribuição, renovação anual de 50% do portfólio, composto por 240 itens, e preços competitivos poderão colocar a Cosnova entre os líderes do setor nos cinco primeiros anos de operação. A partir de 2019, a distribuição abrangerá o Sudeste e, posteriormente todo o país. As empresas CNL e Terra Nova são os parceiros em importação e armazenamento.

Cerca de 95% dos itens vendidos são fabricados na União Europeia por terceiros. Piteli disse que esse modelo garante agilidade no desenvolvimento de produtos, feitos dois anos antes dos lançamentos. Nos pontos de venda brasileiros, os displays nas perfumarias terão um metro quadrado, com todos os produtos disponíveis em único local.

Segundo o executivo, a forte alta do dólar no decorrer deste ano não atrapalha os planos. “A escala na produção compensa os custos com importação. Temos uma margem que absorve essa despesa. Nossos planos para o país são de longo prazo”, disse ele.

O executivo, que teve passagens pela Faber Castell e Nasha Int’l Cosmetics, dona das marcas como Phitoervas e Giovanna Baby, disse que os produtos são direcionados para o público jovem — tanto que a representante da Essence no Brasil será Maisa Silva, atriz e apresentadora do SBT, com 14 milhões de seguidores nas redes sociais. Aliás, a estratégia de marketing da empresa será basicamente on-line.

Fonte: Valor Online

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação