fbpx
O maior canal de informação do setor

Burocracia trava planos de crescimento da Bayer no SUS

601

bayer_

A Bayer tem planos de crescimento ousados com foco no SUS. Mas faltou a indústria farmacêutica combinar com o governo, cuja burocracia vem travando a liberação de um importante medicamento contra hemofilia na saúde pública. Detalhe: a economia de recursos para o SUS poderia chegar a R$ 700 milhões em cinco anos.

Bayer terá mais lançamentos de prescrição institucional e para o varejoSegundo informações concedidas ao Valor Econômico pelo presidente da farmacêutica no Brasil, Adib Jacob, as vendas para hospitais e clínicas privadas e para alguns estados já respondem por 40% da receita no país. Porém, 70% desse montante resultou de negócios com a iniciativa privada. “O setor público ainda tem uma participação pequena em nossa receita. A meta é aumentar a nossa presença nas áreas de oncologia, oftalmologia, pneumologia e hemofilia”, afirmou.

Em 2020, a Bayer entrou com um pedido junto à Conitec para aprovar um medicamento para hemofilia. Em setembro do ano passado, o órgão deu parecer técnico favorável à incorporação no SUS. Mas o processo ainda depende de assinatura do secretário Hélio Angotti e da publicação no Diário Oficial da União. Em novembro, uma audiência pública debateu o caso. Porém, o impasse permanece.

De acordo com Jacob, a alegação da Conitec é de que a incorporação pode causar desequilíbrio financeiro na Parceria para Desenvolvimento Produtivo (PDP) entre a Hemobrás e a farmacêutica japonesa Takeda, que hoje fornece um medicamento para o tratamento da hemofilia.

“Não propomos o fornecimento total no programa. Nosso produto seria usado por 7% dos pacientes atendidos”, comenta Jacob, que propõe a venda a R$ 0,98 a unidade. Enquanto isso, o SUS paga R$ 1,37 à PDP para atender 12 mil pacientes.

“A nossa proposta é de vender o medicamento a R$ 0,98 a unidade”, disse. “Além do preço menor, esse medicamento pode ser aplicado a cada cinco dias. No remédio usado hoje é por volta de um a cada três dias”, observa.

 

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico


Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente
Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/novartis-estuda-vender-a-sandoz/

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação