O maior canal de informação do setor

Canabidiol e a possibilidade de uso para pacientes oncológicos

144

O uso do canabidiol (CBD) vem sendo cada vez mais discutido dentro do arsenal terapêutico para doenças graves como o câncer, especialmente em situações de difícil controle de sintomas. Para conversar a respeito, convido o doutor Pedro Alvarenga, mestre em Medicina.

1 – O que quer dizer CBD e de onde vem esta substância?

O CBD (canabidiol) é uma das centenas de substâncias canabinóides presentes na cannabis, gênero de plantas já utilizadas como forma de extração de fibras naturais, com uso recreativo pelo seu potencial psicoativo.O canabidiol compreende uma parcela dessas substâncias que não possuem efeitos de dependência, bem como não apresente potenciais psicoativos, e hoje é de interesse mundial, visto seus potenciais terapêuticos cada vez mais descobertos e descritos no tratamento de diversas patologias.

2 – Em quais situações médicas haveria maior embasamento científico para seu uso?

Atualmente, diversas pesquisas clínicas e básicas (pesquisas de laboratório) estão sendo feitas com a terapia canabinoide. Estudos bem desenhados e com boas referências mostram evidência na abordagem de crises convulsivas (epilepsia), no tratamento de dor, espasticidade muscular (em doenças crônico-degenerativas como, por exemplo, a esclerose múltipla).

Também já existem liberadas drogas sintéticas na Europa e Estados Unidos que mimetizam os canabinoides, constituindo novas formas de tratamento. Além disso, o interesse científico pela medicina canabinoide cresce a cada ano, já com pesquisas no ramo da dermatologia, no tratamento de doenças psiquiátricas (transtornos de ansiedade, doenças do sono), autismo, doenças inflamatórias e reumatológicas. Todas essas no rol de possíveis patologias a serem tratadas com CBD.

3 – Está legalizado o uso do CBD no Brasil? Qual tipo de profissional estaria habilitado para indicá-la?

Sim. Hoje a terapia canabinoide é liberada e possui diversas regulamentações frente aos órgãos gestores, como a Anvisa. O paciente que deseja o início da terapia canabinoide deve procurar um médico prescritor, e esse será responsável tanto pela prescrição quanto pelo acompanhamento do tratamento médico. Estão habilitados à prescrição todos os médicos inscritos nos conselhos regionais de medicina.

4 – Para o paciente com câncer, quais os possíveis contextos para avaliação desta substância?

Nos pacientes oncológicos, o uso da terapia canabinoide está relacionada principalmente ao controle de sintomas causados tanto pela doença, quanto pelos tratamentos quimioterápicos. Estudos já sugerem potenciais benefícios no tratamento da dor do paciente oncológico, bem como náuseas e vômitos relacionados à quimioterapia. Sendo assim, o CDB e outros canabinoides são cada vez mais estudados, visando novas estratégias de tratamento com melhora tanto da patologia oncológica bem como na qualidade de vida desses pacientes.

Fonte: Diario de Pernambuco – Online

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/tratamento-com-canabidiol-e-popularizado-pela-tecnologia/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação