fbpx

Carga de medicamento retida no aeroporto de Brasília é liberada para pacientes

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou a distribuição do remédio “Soliris” que trata a Hemoglobinúria Paroxística Noturna (HPN), doença rara que provoca ataques de dor e perda de sangue pela urina durante a noite. A droga estava retida na câmara fria do setor de cargas do aeroporto de Brasília desde 28 de agosto.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

A liberação do medicamento foi assinada na tarde da última sexta-feira (5), dois dias após a Anvisareceber um ofício do Ministério da Saúde pedindo a excepcionalidade na liberação dos lotes retidos.

De acordo com o Globo, o medicamento ficou retido após desentendimento entre a Anvisa e o Ministério da Saúde sobre detalhes do processo de aquisição pela pasta. Ao fiscalizar a carga, a Anvisa afirma ter indentificado que a Declaração de Detentor do Registro (DDR), apresentada pela empresa importadora do Soliris, está irregular, já que o parque fabril no qual o produto foi fabricado é diferente daquele fiscalizado pela agência no momento do registro do medicamento.

O Ministério da Saúde comprou seis mil ampolas da droga, por R$ 84,5 milhões. ada uma das seis mil ampolas de Soliris custou R$ 13 mil ao ministério.

Fonte: Bahia Notícias

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2020/12/21/grupo-ultra-poe-extrafarma-a-venda/

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Notícias relacionadas

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra