O maior canal de informação do setor

Comissão dá parecer contra inclusão de ‘pulmão artificial’ no SUS

136

Parecer inicial da Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias do Sistema Único de Saúde), se posicionou contra a implementação de 2 novos tratamentos contra a covid-19 no SUS: a medicação Regn-Cov-2 e o ECMO, máquina que funciona como um pulmão artificial para pacientes com casos graves da infecção.

A Comissão, que atua como órgão consultivo do Ministério da Saúde, avaliou que o SUS ainda não dispõe de unidades com infraestrutura para a instalação do ECMO. O tratamento funciona como um ‘pulmão temporário’, a partir da oxigenação do sangue que é desviado do corpo para dentro da máquina e depois levado novamente ao paciente. O método requer estrutura hospitalar adequada e equipes treinadas. Apesar de não ser utilizado especificamente para tratar casos de covid-19, a tecnologia vem sendo utilizada em casos graves da doença.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

No caso do Regn-Cov-2, a Conitec argumentou que ainda são poucos os estudos que apontam benefícios no tratamento com a medicação. O remédio, já aprovado pela Anvisa, é composto pela associação dos anticorpos casirivimabe e imdevimabe e desenvolvido pela farmacêutica Roche.

O tratamento é indicado a pacientes com covid com casos leves ou moderados, mas que apresentem alto risco de complicações. Entram nessa lista pacientes com idade avançada, imunodepressão, obesidade e doenças cardiovasculares.

As duas propostas seguem disponíveis para consulta pública por 10 dias. Passado esse período, a comissão se reúne para avaliar um parecer final sobre os tratamentos, que é encaminhado ao Ministério da Saúde.

Fonte: Poder 360

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação