fbpx
O maior canal de informação do setor

Como a atualização profissional beneficia o farmacêutico bioquímico

289

Farmacêutico bioquímico – Ao longo da graduação, o farmacêutico é capacitado para atuar em áreas que vão desde o atendimento em farmácias até a vigilância sanitária. Os laboratórios, aliás, também são uma boa opção de carreira para esses profissionais. Lá, eles atuam como farmacêuticos bioquímicos – também chamados de analistas clínicos. A função demanda conhecimento abrangente e aprofundado, em razão da complexidade e da relevância das atribuições.

O trabalho do farmacêutico bioquímico se concentra na análise clínica e toxicológica de amostras, com o intuito de verificar a ocorrência de alterações no organismo. Além disso, ele também avalia medicamentos e atua no controle, produção e análise de alimentos.

Atribuições

O Conselho Federal de Farmácia (CFF), por meio de suas resoluções, determina as seguintes atribuições ao farmacêutico bioquímico:

  • Gestão laboratorial;
  • Gerenciamento de qualidade;
  • Supervisão técnica, operacional e administrativa;
  • Desenvolvimento de programas de controle interno e externo (para garantia da qualidade dos resultados), a partir de manuais formulados pelo Programa Nacional de Controle de Qualidade (PNCQ);
  • Responsável ou corresponsável técnico geral do laboratório ou de um setor;
  • Emissão e assinatura de laudos e pareceres técnicos;
  • Análises hematológicas, de líquidos biológicos e efusões cavitárias, além de exames imunológicos, bioquímicos e citopatológicos (Citologia Esfoliativa Oncótica e Hormonal);
  • Avaliação clínica utilizando métodos em biologia molecular e nas áreas de micologia, microbiologia e parasitologia.

Qualificação e remuneração

Qualquer pessoa graduada em farmácia pode atuar como farmacêutico bioquímico, já que os conhecimentos necessários são abordados no currículo normal, conforme a resolução nº 6, de 19 de outubro de 2017.

No entanto, a Resolução nº 04, de 11 de abril de 1969, determina que a obtenção do título na área está vinculada à conclusão de uma especialização em análises clínicas cadastrada no CFF. A Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC) oferece essa capacitação.

A certificação e a atualização tornam-se indispensáveis, devido ao ingresso de profissionais de outras áreas (biomédicos, por exemplo) nos laboratórios de análise clínica. Congressos, workshops e cursos também são alternativas para a valorização do farmacêutico, auxiliando o seu posicionamento em meio à competição do setor.

Para se qualificar profissionalmente, conheça a atualização em Ciências Farmacêuticas desenvolvida pela ABCF.

No portal Vagas, dedicado à prospecção de capital humano, a média salarial dos profissionais dessa área é de R$ 3.545,00, com valores maiores em cargos que demandam mais experiência. Já no site Catho, a média é de R$ 2.806,17. As ofertas mais frequentes são para a atuação nos setores de bioquímica e hematologia, e na coleta e liberação de resultados.

Além de participar de concursos e atuar em estabelecimentos públicos e privados, o farmacêutico também pode empreender e abrir o seu próprio laboratório de análises clínicas. Nesse caso, além de oferecer todos os serviços relativos à função, o profissional precisará reunir conhecimentos de gestão ligados ao setor de saúde e farmácia.

Fonte: Secad

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação