O maior canal de informação do setor

Documentos mostram que nota fiscal de Covaxin foi emitida antes de pedido de exportação

252

Documentos que estão em posse da CPI da Covid mostram que a primeira nota fiscal internacional para pagamento antecipado da vacina indiana Covaxin foi emitida antes mesmo de o governo indiano autorizar a exportação do imunizante.

As informações constam em um ofício do Ministério da Relações Exteriores encaminhado à Anvisa em 24 de março. No comunicado, o Itamaraty relata a pressão do parlamento indiano e da sociedade civil contra a exportação de vacinas fabricadas no país.

Na semana passada, como revelou O Antagonista, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda, irmão do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), relatou pressões atípicas para o pagamento antecipado de um lote de 300 mil vacinas contra Covid do laboratório Bharat Biotech, representado no Brasil pela Precisa Medicamentos. Como mostrou com exclusividade O Antagonista, o caso foi relatado ao presidente Jair Bolsonaro.

A primeira nota fiscal para o pagamento de US$ 45 milhões foi emitida em 18 de março, em nome de uma empresa de Singapura, a Madison Biotech. Entretanto, neste ofício de 24 de março, a Bharat Biotech informou que ainda aguardava a autorização emergencial da Anvisa e o respectivo pagamento do adiantamento para pedir o aval do governo indiano para a exportação.

‘A Bharat confirmou, em 23/03, que seria possível apresentar – após aprovação pela Anvisa e pagamento pelo MS – pedido ao governo indiano para exportação de 5 milhões de doses, em lotes de 1 milhão, começando com 2 ou 3 milhões no mês de abril e o remanescente nos meses seguintes’, relata o ofício do Ministério das Relações Exteriores.

Fonte: O Antagonista

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/lobista-da-covaxin-tenta-pressionar-anvisa/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação