O maior canal de informação do setor

Natura prevê reciclar 7 toneladas de plástico em um ano com embalagens de produto

80

Quase trinta anos após ser instituído durante a conferência Rio-92 para lembrar o mundo sobre a importância da proteção das águas, o Dia do Mundial dos Oceanos é celebrado nesta terça-feira, 8 de junho, com prognósticos pouco animadores caso a transição para uma economia circular dos plásticos siga a passos lentos. Diante desse desafio, a Natura espera empregar em um ano cerca de 7 toneladas de plástico reciclado nas embalagens da linha de fragrâncias Kaiak Oceano, evitando que alcancem o destino mais comum: os mares. O montante equivale a 3,4 milhões de tampas de garrafas de água que, juntas, formariam uma distância capaz de cruzar o Brasil de Norte a Sul.

Veja também: ADCOS Dermocosméticos tem vagas de emprego pelo país

Os dados são alarmantes: de acordo com dados da revista Science, a cada ano, 8 milhões de toneladas de plástico, um dos maiores poluentes da atualidade, chegam aos oceanos. Dados da Fundação Ellen MacArthur projetam que, até 2050, teremos mais plástico do que peixes no mar. Ao se inspirar no universo aquático e marinho desde 1996, Kaiak, marca da Casa de Perfumaria do Brasil, faz um convite ao chamado do oceano, propondo um olhar mais consciente sobre o lixo gerado no meio ambiente e o impacto que tem sobre águas. Lançadas, respectivamente, em setembro de 2020 e em janeiro de 2021, as fragrâncias, em versão masculina e feminina, seguem os preceitos de circularidade e possuem até 50% de plástico reciclado na composição de suas tampas. Desse total, cerca de 8% advém da costa brasileira.

Siga nosso Instagram

‘A sustentabilidade está no centro da estratégia da empresa. Acreditamos que um produto ou serviço só é inovador se gerar impacto positivo para as pessoas e para o planeta. Por isso, buscamos continuamente soluções que contemplem as questões socioambientais. Nesse sentido, as embalagens são um tema central para a organização – entendemos que é nosso papel, como empresa de bens de consumo, garantir a sustentabilidade no processo de produção de nossas embalagens, de ponta a ponta. Com o lançamento de Kaiak Oceano, damos continuidade às ações de circularidade, que dão vida a uma das nossas principais causas, Mais Beleza, Menos Lixo, ao reaproveitar o plástico e o vidro que seriam descartados para oferecer o máximo, usando o mínimo e reduzindo os excessos’, diz Fernanda Rol, diretora de Marketing Brasil da companhia.

Antes do lançamento de Kaiak Oceano, a Natura já havia trabalhado esse insumo em outros produtos, como o lançamento do desodorante corporal Deo Spray Corporal Humor, por exemplo, cujas tampas foram produzidas a partir de 2,5 milhões de copos plásticos descartados durante os sete dias do festival Rock in Rio, em 2019. No entanto, os desafios para o lançamento das fragrâncias de Kaiak Oceano eram ainda maiores: a tampa é uma peça complexa, composta por diversas partes distintas, e a cadeia de resina PP ainda é incipiente no Brasil em comparação com outras já estruturadas, como as de alumínio e PET. A solução foi apostar na capacitação de cooperativas parceiras de reciclagem e na obtenção do restante do material por meio de aterros sanitários.

A Natura também promoveu a limpeza de uma área de cerca de cinco quilômetros na estação ecológica Juréia-Itatins, no litoral Sul de São Paulo, em parceria com o Instituto Ecosurf. Os dois dias de coleta na unidade de conservação resultaram na retirada de mais de 300 sacos contendo 100 litros de resíduos. Todo o material coletado ganhou a destinação adequada: os recicláveis foram enviados para recicladores e os não-recicláveis foram encaminhados para aterros sanitários. A operação demandou dez dias de preparação e cerca de 30 pessoas envolvidas.

Adeus, celofane

Outra decisão pioneira no lançamento de Kaiak Oceano foi eliminar um emblemático item da perfumaria: o celofane envolto nas embalagens. Embora seja usado por apenas alguns minutos, o famoso filme plástico – assim como qualquer outro plástico de uso único, como sacolinhas, garrafas PET, copos e canudos – pode levar centenas de anos para se decompor. Alinhada aos preceitos de economia circular, a Natura decidiu eliminá-lo da embalagem das duas versões de Kaiak Oceano, passando a usar, no lugar, um cartão mais resistente nas caixas e a lacrá-las com cola. Para isso, investiu na aquisição de máquinas para aplicar pegamento nas abas superior e inferior das embalagens, que são utilizadas no lugar dos tradicionais equipamentos para aplicação do celofane após a etapa de encartuchamento (colocação do perfume no cartucho). A adaptação foi feita na fábrica da empresa em Cajamar (SP) e em outras três fábricas de produção da empresa na Argentina, México e Colômbia.

Mas além da embalagem, também era preciso mudar a maneira de pensar. ‘Executamos um intenso e abrangente trabalho de comunicação com mais de 2 milhões de Consultoras na América Latina, promovendo entre nossa rede de relações uma importante reflexão sobre sustentabilidade e ressignificação de códigos em prol de um futuro mais sustentável, tendo como eixo nossa causa Mais Beleza, Menos Lixo’, sinaliza Fernanda Rol, ‘além de provar que a inovação em rede é um poderoso instrumento para criar soluções que respondam aos desafios mais urgentes do mundo, como a poluição dos oceanos’.

A inovação audaciosa valeu a pena. Em pesquisa realizada, 25% dos consumidores compraram Kaiak Oceano atraídos pela causa e 96% dos consumidores concordam que usando Kaiak Oceano cuidam de si e da natureza ao mesmo tempo. Entre a força de vendas, o produto também gerou impacto positivo: 88% das Consultoras consideraram a retirada do celofane da embalagem como algo positivo e 79% delas falaram sobre o produto para seus clientes, com destaque para as causas defendidas pela Natura.

As metas da companhia incluem ainda inovar para garantir que 100% das embalagens plásticas de Kaiak possam ser reutilizadas, recicladas ou compostadas com facilidade e segurança, e circular o plástico produzido, aumentando consideravelmente a quantidade de plásticos reutilizados ou reciclados e transformados em novas embalagens ou produtos. Todos os frascos de perfumaria da Casa de Perfumaria do Brasil já são feitos com até 30% de vidro reciclado e as formulações das fragrâncias utilizam álcool 100% orgânico, medida que colabora contra a emissão de gases do efeito estufa. Além disso, a cada ano, a empresa utiliza 1,9 mil toneladas de plástico reciclado em suas embalagens, o que equivale a 62 milhões de garrafas PET de 1 litro que deixam de ir para o lixo.

No ano passado, o grupo Natura &Co, que engloba as marcas Natura, Avon, The Body Shop e Aesop, lançou o Compromisso com a Vida, assumindo metas ainda mais ambiciosas a serem cumpridas até 2030. No pilar de circularidade e regeneração, o objetivo é reduzir, no mínimo, 20% do material das embalagens, utilizar 50% de plástico reciclado nas embalagens e garantir 100% de materiais reutilizáveis, recicláveis e compostáveis.

Kaiak e Família Schurmann

Comprometida com a conscientização sobre a importância de cuidar dos mares, Kaiak embarca com a Família Schurmann em sua próxima expedição. ‘Voz dos Oceanos’ tem o apoio global do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e terá início em agosto de 2021. O trajeto passa por cerca de 40 destinos ao redor do mundo e os navegadores farão registros da condição atual dos mares para aumentar a conscientização e o engajamento do público para questões contemporâneas urgentes, como o descarte de resíduos e o consumo consciente.

Fonte: Dia Mais Sustentável

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação