Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Farmácias independentes ignoram canais digitais, diz pesquisa

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Farmácias independentes ignoram canais digitais, diz pesquisa

Farmácias independentes e transformação digital continuam bem distantes. E uma nova pesquisa sobre o tema reforça como o setor está na contramão do grande varejo farmacêutico, cujas operações de e-commerce ganham evidência.

Levantamento do Instituto Axxus, que integra o ecossistema do Parque Científico e Tecnológico da Unicamp, ouviu 420 proprietários de pequenas farmácias e trouxe conclusões impressionantes.

O uso de canais online para adotar programas de fidelidade, por exemplo, inexiste em 99% dos estabelecimentos. Já 83% dos gestores do PDV sequer utilizam as redes sociais como canais de propaganda.

“A situação é ainda mais crítica entre empreendedores das regiões Norte e Nordeste. E as justificativas para não investir em inovação digital passam por restrições orçamentárias e mais dificuldades para rentabilizar as vendas”, relata Rodnei Domingues, responsável pelo estudo.

Farmácias independentes pecam na política de descontos

As farmácias independentes também convivem com barreiras para definir uma política padronizada de descontos. Em 99% das lojas, esses benefícios são definidos e concedidos aos clientes pelos atendentes ou por um superior. Em apenas 1% dos casos, eles são parametrizados pelo sistema.

Farmácias têm delivery caseiro

Outro indicador relevante aponta que 92% das farmácias independentes não utilizam qualquer plataforma de marketplace. Por outro lado, com relação às modalidades de entrega, 92% afirmaram prestar esse serviço com entregador próprio. As captações de pedidos se dão prioritariamente por telefone (96%).

Mas existe luz no fim do túnel quando o assunto é o WhatsApp, que já é utilizado por 91% dos entrevistados como ferramenta de atendimento a clientes.

“O fato de o delivery não ser terceirizado acaba se tornando uma vantagem, pois a entrega tende a ser mais ágil em relação a grupos de maior porte. É isso que está dando uma sobrevida a esses PDVs”, acredita Domingues.

Sem integração com distribuidoras

A pesquisa também constatou que 86% das farmácias independentes ainda registram manualmente os produtos esgotados. Além disso, em 95% dos PDVs, o sistema não está conectado com as distribuidoras. “A falta de integração eletrônica com o atacado culmina em uma compra baseada apenas em relacionamento e persuasão do que em aspectos técnicos”, ressalta.

Quase a totalidade (99%) das lojas não utiliza sistemas de cotação para auxiliar na decisão da melhor compra. Já 97% dos gestores afirmaram que o módulo financeiro não está integrado ao ERP. “Esse é o ponto mais crítico, pois inviabiliza qualquer análise mais profunda do desempenho da loja”, critica.

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress