O maior canal de informação do setor

Genéricos que passam pela Anvisa são seguros, afirma farmacêutica

108

Disponíveis a preços mais acessíveis, os medicamentos genéricos muitas vezes têm sua eficácia questionada pela população. Em entrevista ao RDtv nesta quarta-feira (13/10), Cristina Vidalgo, gestora do curso de farmácia da USCS (Universidade Municipal de São Caetano) afirma que os genéricos são seguros e explica a razão de sua maior acessibilidade.

A farmacêutica destaca que a Lei dos Genéricos (nº 9.787) é uma grande conquista para o Brasil. Com pouco mais de 20 anos, a lei foi implementada em 1999, mesmo ano de criação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Ao ressaltar a importância dos genéricos, Cristina contextualiza o cenário do país na fabricação de medicamentos antes da criação da Agência e aprovação da lei. ‘Tínhamos duas situações: medicamentos que eram importados das multinacionais ou fábricas brasileiras, que ainda passavam por regulamentações’, explica.

Vidalgo enfatiza que, após a criação da Anvisa e a implementação da Lei dos Genéricos, o cenário mudou para uma chancela de qualidade, em suas palavras. ‘Nos qualificava para produzir medicamentos de muita qualidade em território nacional’, diz.

Após o período de expiração da patente do medicamento de marca, qualquer indústria pode lançar um medicamento genérico a partir da mesma fórmula. Segundo Cristina, ‘o medicamento genérico é uma cópia exata do medicamento de marca’. Desta forma, os genéricos devem possuir o mesmo princípio ativo, dosagem e apresentação do original.

Para garantir a sua eficácia e segurança, os medicamentos precisam passar por dois testes fundamentais, regulamentos pela Anvisa: bioequivalência e biodisponibilidade. Estes testes garantem que, ao ser administrado pelo paciente, o genérico entra em ação no mesmo tempo que o medicamento de marca e ainda assegura que os efeitos sejam iguais.

Cristina esclarece que a caixa dos medicamentos registrados como genéricos são indicadas por uma faixa amarela, a letra ‘G’ em destaque e o número da lei. ‘Esse é aprovado e tem a mesma eficácia de um medicamento de marca’, salienta. A profissional garante que qualquer medicamento genérico, que tenha passado pelos testes, é seguro.

Em consequência ao alto custo investido em pesquisa clínica, os medicamentos de marca chegam ao mercado em um valor mais elevado para que as indústrias recuperem o investimento. Os genéricos, por outro lado, são comercializados em valores mais populares. ‘A Lei dos Genéricos traz acesso à população. Por lei, esse medicamento deve ser, no mínimo, 25% mais barato do que a versão de marca’, reforça.

Atualmente, no Brasil, todos os tipos de medicamentos devem passar pela validação da Anvisa, o que garante a segurança dos mesmos. Cristina, no entanto, alerta para compras feitas através da internet. ‘Infelizmente, vemos muitos sites sem certificação da Anvisa. Devemos ficar de olho para garantir que não seja um site clandestino’, completa.

Fonte: Repórter Diário

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/clube-das-empresas-bilionarias-no-brasil-reune-18-farmaceuticas/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação