O maior canal de informação do setor

Governo avalia cancelar contrato com a intermediária da Covaxin, diz Coluna

97

O governo debate cancelar o contrato realizado com a Precisa Medicamentos, representante no Brasil da Bharat Biotec, empresa responsável pela Covaxin, em razão do avanço das investigações envolvendo a transação, segundo informações da coluna do jornalista da CNN Brasil, Caio Junqueira.

Os caminhos estão sendo avaliados. Um deles é o de cancelar o empenho que foi feito para a Precisa Medicamentos no valor de R$ 1,6 bilhão no dia 22 de fevereiro.

Outra possibilidade é não assinar o termo de compromisso com a Anvisa com as 21 condicionantes que a agência colocou para que a importação possa ser feita. Quem assina isso é o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que está com receio de fazê-lo tendo em vista o avanço das investigações do contrato.

Queiroga encaminhou para a Consultoria Jurídica o contrato para que seja revisto e analisado, uma vez que ele foi feito na gestão passada, do então ministro Eduardo Pazuello.

Um terceiro caminho é argumentar que como a vacina não foi entregue, houve descumprimento do contrato.

O contrato é alvo da CPI da Pandemia, pois foi a vacina mais cara e a que mais rápido foi fechada pelo governo brasileiro. O valor do contrato é de R$ 1,6 bilhão para a oferta de 20 milhões de doses. As vacinas nunca foram entregues e os recursos não foram pagos.

Fonte: A Tarde Online

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/importadora-da-covaxin-contraria-versao-do-governo-bolsonaro-sobre-adulteracao-de-recibos/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação