fbpx

Governo sugere reformular Farmácia Popular e economizar até R$ 1 bilhão

Governo sugere reformular Farmácia Popular e economizar até R$ 1 bilhão

O Ministério da Saúde está sugerindo ao governo de transição uma reformulação do Programa Farmácia Popular. A ideia é que o governo federal centralize as compras de medicamentos, que depois seriam distribuídos pela indústria farmacêutica aos estabelecimentos participantes.

Atualmente, as próprias farmácias adquirem os remédios e são ressarcidas posteriormente. O Ministério da Saúde gasta cerca de R$ 2 bilhões por ano com o Farmácia Popular e espera reduzir essa despesa pela metade, o que viabilizaria o reajuste dos agentes comunitários de saúde e de combate às endemias para 2019, previsto na Lei 13.708/18.

O projeto da lei orçamentária de 2019 (PLN 27/18) não tem recursos para bancar esta correção salarial, o que exige o corte em outra área do governo ou em programa da própria saúde.

Fim da gratuidade

Durante o jantar de confraternização da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), o presidente do Conselho Diretivo da entidade, Eugênio De Zagottis, também sugeriu mudanças no programa. “O Farmácia Popular foi uma conquista da sociedade brasileira, mas com o passar do tempo foi desvirtuado. Acredito que uma das saídas para manter sua sustentabilidade seria disciplinar o uso por meio do fim da gratuidade, estabelecendo cotas de coparticipação, sem minar o acesso ao medicamento”, observou.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Notícias relacionadas

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra