O maior canal de informação do setor

Hipoxemia silenciosa: riscos e desafios causados pela covid-19

179

Covid – Este ano entrará para a história, infelizmente, por conta de uma nova mutação viral que se espalhou pela Terra gerando medo, perdas e caos. Na cidade de Wuhan, na China, o Coronavírus, denominado por SARS-CoV-2 (Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus-2), foi identificado no final de 2019 e trouxe diversas adversidades para a comunidade médico-científica do mundo todo.

Siga nosso instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Altamente contagiosa, a Covid-19 em pouco tempo alcançou todos os continentes, e dia após dia, a busca por tratamentos, vacinas e métodos de prevenção mantém um alerta de risco eminente. Isso acontece desde a complexidade de identificação da doença no início, até mesmo o monitoramento correto dos sintomas. Por isso, além do termômetro, outro equipamento de acompanhamento da saúde que ganhou destaque durante a pandemia causada pela Covid-19, é o oxímetro.

O pequeno aparelho se tornou um aliado importante para médicos e pacientes, pois informa qual a porcentagem de oxigênio no sangue.

Níveis de oxigênio abaixo de 95% são preocupantes! O resultado pode significar uma complicação observada em algumas pessoas com o novo Coronavírus, a “hipóxia silenciosa”. Neste caso, o paciente não sente falta de ar, está estável, mas corre um sério risco de saúde, pois o nível de oxigênio no sangue está comprometido.

Esse fato pode acontecer por volta do 7º dia desde o aparecimento dos primeiros sintomas da Covid-19 e identifica que é preciso buscar ajuda médica imediatamente.

Oxímetro

O oxímetro pode ser adquirido em farmácias ou pela internet, sem receita médica, e tem um funcionamento intuitivo. Com o equipamento em casa, fica mais fácil para o paciente acompanhar o nível de oxigenação do organismo. Em indivíduos normais, esta saturação varia de 95 a 100%.

O monitoramento pode ser feito cerca de três a quatro vezes por dia em pessoas com suspeita de Coronavírus, que tenham sintomas como febre, tosse e dor de garganta. Mesmo sem sentir desconforto para respirar, o paciente precisa procurar por atendimento profissional em uma unidade, se o oxímetro aferir menos que 95%.

Como medir

Para usar corretamente o oxímetro, apoie a mão em cima de uma mesa posicionada abaixo da altura do coração. Em seguida, encaixe o aparelho no dedo, de preferência o anelar, mantenha em repouso e observe o resultado por alguns minutos. Resultados falsos podem ocorrer quando houver a presença de esmalte, se as mãos estiverem frias, se as medidas forem realizadas com o indivíduo deitado, ou se ele se movimentar durante a medição.

Lembre-se: você também pode observar outros sintomas e receber orientações dos nossos colaboradores através do questionário disponível na função Cuidar +, no APP Nossa Saúde.

Estaremos sempre juntos com você, pois queremos diariamente inspirar o amor pela vida!

Fonte: Nossa Saúde

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2021/05/10/plano-gratuito-da-clinicarx-viabiliza-servicos-clinicos-em-pequenas-farmacias/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação