O maior canal de informação do setor

Hiran Gonçalves apela para que Novartis produza remédio mais caro do mundo com menor custo

173

Hiran Gonçalves apela para que Novartis produza remédio mais caro do mundo com menor custo

O apelo desesperado dos pais da pequena Kyara Lis; bebê de um ano diagnosticada com Atrofia Muscular Espinhal (AME), no Distrito Federal, está multiplicado em outdoors espalhados pelas avenidas de Brasília: “Ajudem a salvar a vida da nossa filha”. Sensibilizado com o drama da família de Kyara, o presidente da Frente Parlamentar da Medicina (FPMed), deputado Hiran Gonçalves (Progressistas/RR) decidiu interferir junto à empresa farmacêutica Novartis, produtora do medicamento, no sentido de tentar diminuir o valor do Zolgensma.

Vendido por 2,1 milhões de dólares – equivalente a R$ 12 milhões – o medicamento chamado de “remédio mais caro do mundo” é o único capaz de impedir o avanço da AME e salvar Kyara e outras 8mil crianças diagnosticadas com AME em todo o Brasil, mas tem que ser administrado até os dois anos de idade.

Em campanha nas redes sociais para conseguir o remédio para o tratamento, Kayra Rocha, mãe da menina, explica que a ideia de fazer a mobilização com uma carreata, os outdoors e na internet foi para sensibilizar o maior número de pessoas e também as autoridades. “Nossa luta não é só pela Kyara, mas para mostrar que a doença existe, que é uma causa social. Assim, nós alcançaremos o milagre”, afirmou.

Em reunião com executivos da farmacêutica suíça Novartis nesta terça-feira, 6, o deputado Hiran Gonçalves falou como parlamentar, mas também médico e pai. “Me coloco à disposição da Novartis para que, na medida do possível, a assessoria jurídica da empresa mostre uma solução possível para diminuirmos rapidamente o drama dessa criança e de sua família, bem como das demais crianças que também necessitam desse medicamento de alto custo”, afirmou. Como resposta ouviu que a farmacêutica vai avaliar a possibilidade de trabalhar com o Parlamento brasileiro.

Segundo o Gonçalves, se a solução a ser apresentada tiver que passar pelo Poder Legislativo, ele estará à disposição para elaborar um projeto que contemple essa inicia-tiva. “Estamos correndo contra o tempo, mas essa será uma boa notícia e estarei pronto para mobilizar todo o Congresso Nacional em torno dessa causa nobre”, argumentou.

Pesquisa Clínica

O deputado Gonçalves tem como certa a modernização do parque industrial farmacêutico brasileiro e o Brasil alcançar maior proeminência no campo das pesquisas clínicas para equiparar-se, em um futuro próximo, aos principais centros de pesquisa clínica do mundo – Estados Unidos, União Europeia, Japão.

Nessa vertente, Gonçalves foi o relator do Projeto de Lei 7082/2017 (PL das pesquisas clínicas), de autoria da senadora Ana Amélia, que dispõe sobre a pesquisa clínica com seres humanos e institui o Sistema Nacional de Ética em Pesquisa Clínica com Seres Humanos. Um texto substitutivo do parlamentar tramita na Câmara dos Deputados e cria um Marco Legal para o setor. “Para lapidar esse importante projeto, trabalhamos para construir um texto moderno e que está pareado com as normas de pesquisa clínica dos países que compõem os BRICS (Rússia, Índia, China e África do Sul), e de onde mais se faz pesquisa no mundo que são os Estados Unidos e a Europa”, comentou Gonçalves.

Para Gonçalves, com a aprovação do PL 7082/17, ficará estabelecido um marco legal que garante mais investimentos em pesquisa para o Brasil, inovações em cadeia e também mais acesso para as pessoas que precisam de medicamentos novos para aumentar a sua sobrevida ou mesmo para curar suas doenças, tanto as doenças raras, como a Atrofia Muscular Espinhal, que afeta a pequena Kyara Lis, quanto as neoplasias e outras.

No artigo: Mais agilidade para as pesquisas clínicas, publicado no jornal O Globo, o presidente do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma), Nelson Mussolini, assinala que no cenário global, a importância das pesquisas clínicas ganhou as manchetes por causa da corrida mundial pelo desenvolvimento de vacinas contra o novo coronavírus. “Mas, um aspecto menos explorado no noticiário é o papel estratégico das pesquisas clínicas de medicamentos para o avanço da inovação, como rota de aprimoramento da base científica e tecnológica dos países e de atração de investimentos para suas empresas e instituições públicas e privadas da área da saúde”.

Ele lembra que esse modelo para que o Brasil se alinhe com os procedimentos adotados nos principais centros de pesquisa clínica do mundo – Estados Unidos, União Europeia, Japão já existe e trata-se do Projeto de Lei 7082/2017, de autoria da senadora Ana Amélia, com texto substitutivo do deputado Hiran Gonçalves que atualmente aguarda ser colocado em pauta, pelo presidente Rodrigo Maia, na Câmara dos Deputados e oferece uma proposta bem fundamentada que contempla todos os aspectos relevantes da questão.

Fonte: Roraima em Foco 

Leia também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2020/09/18/por-mais-vacinas-da-covid-19-biontech-compra-laboratorio-da-novartis/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação