O maior canal de informação do setor

Máscara descartável: ela realmente te protege contra a Covid-19?

52.364

Como o vírus é uma situação nova para nós, e estamos sendo bombardeados a todo momento com notícias sobre o tema, muitas pessoas já correram atrás de máscara descartável

A confirmação do primeiro caso de contaminação pelo coronavírus no Brasil nesta semana deixou muita gente preocupada. Na quinta-feira (27), o Ministério da Saúde informou que o número de casos suspeitos subiu para 132 no país, mas que pode chegar a 300 com outros casos analisados.

Veja também: Avon cria rímel mais desejado da internet

O vírus identificado pela primeira vez em Wuhan, na China, causa a doença respiratória covid-19, que pode se manifestar como uma gripe leve até uma pneumonia intensa, a depender da pessoa. Segundo a Organização Mundial de Saúde, até a quinta-feira, havia 82.294 casos confirmados em todo o mundo, sendo 3.664 fora da China. No total, 2.804 pessoas já morreram por decorrência da covid-19.

Siga nosso Instagram

Como o vírus é uma situação nova para nós, e estamos sendo bombardeados a todo momento com notícias sobre o tema, muitas pessoas já correram atrás de máscara descartável para se proteger, já que o coronavírus é transmissível através do contato humano e da exposição a gotículas respiratórias de uma pessoa infectada. Mas esse tipo de prevenção realmente funciona? Especialistas são céticos em relação à eficácia da máscara descartável na proteção contra vírus e bactérias perigosos.

Como a máscara descartável te protege?

Veja algumas opiniões sobre se você deveria ou não usar uma máscara descartável e de que outra forma você pode se proteger. Uma máscara descartável que cobre o rosto pode ajudar, até certo ponto. Vírus têm maneiras diferentes de serem transmitidos. Quando uma pessoa infectada tosse ou espirra, ela expele gotículas no ar que podem carregar o vírus. E ele pode se espalhar quando essas gotas tocam os olhos e o nariz de outra pessoa.

O vírus também pode se espalhar em algumas superfícies. Se alguém entrar em contato com essas gotículas contagiosas – no ar ou tocando em uma superfície que continha as gotículas – pode se contaminar. Na última quinta-feira, o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), Robert Redfield, disse ao Congresso norte-americano que a agência está… Continue a ler no HuffPost

Fonte: Yahoo Brasil

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação