O maior canal de informação do setor

Moradores reclamam da falta de médico e estrutura ruim do posto de saúde de assentamento

414
Famílias reclamam da falta de médico e estrutura ruim do postos de saúde no assentamento São João ll

Os moradores do assentamento São João II, em Porto Nacional, reclamam que falta quase tudo no posto de saúde. Segundo os usuários, a unidade tem médico só uma vez por mês e é apenas um profissional para atender mais de cem famílias. O dentista não aparece no local há muito tempo.

Nessa terça-feira (27), apenas um enfermeiro e um clínico geral chegaram para trabalhar. O dentista não apareceu mais uma vez. A Maria Eduarda tem dois anos e está precisando de atendimento urgente.

“Ela caiu, quebrou o dentinho, rachou de cima a baixo a raiz e caiu uma banda [sic]. Eu trouxe no médico, mas não tinha dentista porque ela não consegue escovar e nem comer. Aí eu trouxe para ver o que poderia ser feito, mas não consegui ainda”, afirmou a funcionária pública Maria de Fátima dos Santos.

Também tem faltado vacina no posto de saúde. A Márcia Burgues Cunha levou o filho Carlos Henrique para vacinar mais uma vez, mas saiu sem a dose novamente.

“É muito difícil porque é um direito que a gente tem, eu acho. Aí chega aquela data [de atendimento] e não vem médico, não vem ninguém, fica difícil. É complicado, a gente fica sem saída”, afirmou a auxiliar de serviços gerais Márcia Burgues.

 

Moradores esperando atendimento em posto de saúde — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

O posto de saúde também mostra uma estrutura abandonada. Os poucos bancos que têm no local estão com o estofado solto. A aposentada Ivaci de Assis Cunha fraturou a bacia e precisou esperar atendimento em uma cadeira de madeira. ‘É o jeito esperar aqui. É desse jeito, conforto não tem não”, lamentou.

Nos fundos da unidade tem pedaços de telhas que acumulam água e causam risco de acidente. Além disso, o mato alto cobre grande parte do terreno e esconde outro perigo: um poço aberto.

O vendedor Edinoreste Ferreira mostrou a fiação exposta que sai da unidade e vai até o poço. “Tem muita criança aqui. Os pais trazem as crianças para serem atendidas, o poço está com bastante sujeira. Como eles querem fazer saúde sem colocar uma água adequada e tratada para o povo beber?”, reclamou.

Também faltam telhas e as madeiras que sustentam o teto do postinho estão sendo atacadas por cupins. Segundo os moradores, nesta terça-feira (26) tinha água porque choveu, mas quando não chove falta até água no posto de saúde.

“Nós não temos água nem para os enfermeiros, o pessoal que vem fazer atendimento, lavar as mãos para atender as pessoas”, afirmou a cabeleireira Reilany Patricio de Oliveira.

Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

 

Mato alto esconde poço aberto nos fundos de posto de saúde — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Fonte: G1

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação