fbpx
O maior canal de informação do setor

Novas técnicas na cirurgia de coluna permitem alta no mesmo dia

868

Na neurocirurgia, área da medicina que opera em doenças do sistema nervoso, cirurgias minimamente invasivas passam a disputar espaço com práticas convencionais e oferecem, ao médico e paciente, menor tempo de ação e internação.

Isso tudo graças ao avanço da tecnologia, com o emprego de aparelhos de última geração, como microscópios e câmeras de alta resolução, para o exercício da medicina.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2019/11/29/teste-com-os-dedos-ajuda-a-identificar-se-paciente-esta-com-cancer-de-pulmao/

Segundo Dr. Cezar de Oliveira, neurocirurgião especialista em cirurgias minimamente invasivas, ambos os métodos podem ser utilizados com o objetivo de retirar a hérnia.

Para alguns casos, dispomos de procedimentos como:

  • microcirurgia,
  • cirurgia endoscópica da coluna,
  • rizotomias por radiofrequência.

“Esses procedimentos dispensam anestesia geral e, devido às incisões diretamente no foco, reduz o risco de complicações e colaboram para que o paciente seja liberado em até 24 horas”, afirma o especialista.

A hérnia de disco ocorre com o desgaste da estrutura circular que fica entre as vértebras da coluna.

O vazamento do material gelatinoso que fica no centro desse disco, pode pressionar nervos espinhais próximos ou pressionar a medula espinhal, causando dolorosos sintomas.

De acordo com informação da Sociedade Europeia da Coluna (EUROSPINE), estudos indicam que cerca de 30% da população mundial tem um disco da coluna herniado sem apresentar sintomas.

PROCEDIMENTOS MINIMAMENTE INVASIVOS QUE PODEM RECEBER ALTA NO MESMO DIA: CIRURGIA ENDOSCÓPICA DA COLUNA

Neste método, é necessária uma pequena incisão para a colocação de um tubo de acesso (pode variar entre 05 e 14 mm) e, em seguida, são introduzidos os instrumentos para a realização da operação.

O primeiro é uma cânula com câmera na ponta, para a transmissão das imagens em tamanho real.

Em seguida, ferramenta de corte, como pinças especiais, para a remoção da hérnia.

Utiliza anestesia local, sedação e, ao final, um ponto para fechar o furo.

MICROCIRURGIA

Mais comum para hérnias de disco, é realizada com pequeno corte na pele, de 03 ou 04 cm, e auxílio de um microscópio cirúrgico.

O aparelho permite visualizar o interior do corte com imagens nítidas e ampliadas.

Após a retirada da hérnia, os nervos próximos são cauterizados, a fim de eliminar as dores que afetam o paciente.

RIZOTOMIAS POR RADIOFREQUÊNCIA

Este procedimento é realizado após o mapeamento detalhado dos nervos afetados.

Sem a necessidade de corte, e com auxílio de imagens em raio-x, são introduzidas agulhas (eletrodos) diretamente no local, que promovem ondas controladas de calor e pulsos elétricos para inibir a comunicação de dor desses nervos com o cérebro.

Como resultado, alívio imediato ao paciente, sem afetar os nervos responsáveis por força e movimento.

“Para a maioria dos casos, cerca de 90%, tratamentos sem intervenção cirúrgica, como alternativas e medicamentos recomendados por especialista, funcionam bem”.

Para os demais, há as opções tradicionais e as técnicas minimamente invasivas.

A indicação entre uma e outra vai depender do quadro de cada paciente. Mas, os resultados, aliados a mudança de hábitos e uma vida saudável, são exelentes”, orienta o Dr. Cezar.

Fonte: Revista Nova Família

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação