O maior canal de informação do setor

Pedido para dose de reforço da Janssen prevê intervalo mínimo dois meses

29

Janssen – No pedido de autorização de uso de sua vacina contra a Covid-19 como dose de reforço enviado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Janssen, empresa farmacêutica da Johnson & Johnson, explica que o imunizante deve ser aplicado em adultos a partir de 18 anos, no mínimo dois meses após a vacinação primária com a vacina de dose única da companhia. O período é menor em relação a outros imunizantes já utilizados no Brasil, como Coronavac, Astrazeneca e Pfizer, que só podem ser aplicados após 5 meses neste público.

Os dados da análise final do estudo de Fase 3, Ensemble, demonstraram eficácia geral de 75% da vacina de dose única da Janssen contra a Covid-19 grave ou crítica, em todas as faixas etárias e em todos os países incluídos no estudo. A vacinação primária em dose única oferece proteção e níveis de anticorpos e células T CD8+ que duram 8 meses – período avaliado até o momento.

Segundo a Janssen, para aumentar a proteção, especialmente para a Covid-19 sintomático, uma dose de reforço pode ser administrada a partir de dois meses após o esquema de vacinação primária. Uma resposta imunológica mais elevada pode ser esperada com um intervalo ainda mais longo (seis meses) entre a vacinação primária e a dose de reforço.

Outro estudo de Fase 3, Ensemble 2, demonstrou que a eficácia da vacina da Janssen contra a Covid-19 moderada a grave ou crítica foi de 75,2% e de 100% para casos graves ou críticos, quando avaliada pelo menos 14 dias depois da dose de reforço.

As evidências mostraram que quando um reforço da vacina da Janssen contra a Covid-19 foi administrado dois meses após a dose única, os níveis de anticorpos aumentaram de quatro a seis vezes. Com o reforço após seis meses da dose única, os níveis de anticorpos aumentaram nove vezes após uma semana e continuaram a subir em 12 vezes quatro semanas depois da aplicação, independentemente da faixa etária.

No pedido submetido para autorização da Anvisa, também se inclui o uso de uma dose de reforço da vacina da Janssen como dose de reforço heterólogo após a conclusão da vacinação primária com vacinas mRNA. Nos Estados Unidos, a vacina da Janssen possui autorização de uso emergencial em regime primário de dose única para adultos acima de 18 anos. Em 20 de outubro, a Food and Drug Administration (FDA) passou a autorizar também a aplicação de uma dose de reforço a partir de dois meses da dose única, ou o uso da vacina como reforço heterólogo para outros imunizantes autorizados pela agência.

Os dados da vacina de dose única da Janssen possibilitam um regime de imunização capaz de proporcionar benefícios para cada indivíduo, seja quando administrada em dose única com resposta eficiente para o combate à pandemia ou como dose de reforço depois de pelo menos dois meses – com o objetivo de maximizar a proteção contra casos sintomáticos. Não há dados disponíveis até agora para apoiar a necessidade de uma segunda dose de reforço (terceira aplicação).

A vacina de dose única da Janssen foi autorizada pela Anvisa para uso emergencial no Brasil em março de 2021 para imunização ativa na prevenção da Covid-19 causada por SARS-CoV-2 em indivíduos a partir de 18 anos, apoiada pelos dados de eficácia e segurança do ensaio clínico de Fase 3 realizado com 43.783 participantes em oito países, incluindo o Brasil. O imunizante é compatível com os canais padrão de armazenamento e distribuição de vacinas. Os dados de estudos de avaliação de estabilidade demonstraram que a vacina é estável por vinte quatro meses quando armazenada a -20 graus Celsius, e seis meses quando refrigerada a temperaturas entre 2 e 8 graus Celsius.

Fonte: Correio do Povo

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/pesquisa-revela-que-60-dos-consumidores-devem-comprar-na-black-friday/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação