fbpx
O maior canal de informação do setor

Pesquisadora da UFU desenvolve tese que identifica infarto do miocárdio precocemente

Uma pesquisadora, que cursou doutorado em Ciências na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), desenvolveu uma tese que identifica precocemente o infarto do miocárdio. O trabalho ainda deve passar por testes em laboratório antes de ser testado em pacientes, mas já recebeu reconhecimento, sendo premiado por uma empresa da área de tecnologia médica.

Concurso para projeto de equipamento móvel de higienização de mãos é promovido pela UFU

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

De acordo com Laíse Oliveira Resende, que desenvolveu a pesquisa com ênfase em Engenharia Biomédica e Cardiologia, o equipamento construído é capaz de identificar as proteínas troponina T e a proteína C reativa de forma mais rápida. Ambas são liberadas no sangue durante o infarto do miocárdio.

“Desenvolvemos um método sensível e específico para detecção e quantificação de troponina T e proteína C reativa, com obtenção de resultados relevantes e promissores. A análise da entropia dos traçados eletrocardiográficos possibilitou o incremento desta característica para melhor avaliação dos pacientes e obtenção de diagnóstico precoce”, explicou.

Ainda segundo a pesquisa, o novo método deve melhorar o atendimento dos pacientes com problemas cardiovasculares e a escolha do melhor tratamento. Atualmente, o tempo para identificação destes marcadores depende da tecnologia utilizada, que varia de acordo com cada hospital.

“Com uma pequena amostra de sangue, é possível a obtenção do resultado de forma rápida. Nosso objetivo foi a realização da análise precocemente, de forma menos invasiva e com ampla possibilidade de aplicação clínica”, afirmou a pesquisadora.

Ela informou também que a nova tecnologia tem custo inferior aos métodos tradicionais utilizados atualmente. Outra vantagem do equipamento é a facilidade de manuseio e, por ser portátil, pode ficar disponível na sala de emergência e ser feito quando o paciente é admitido no hospital.

Premiação

A pesquisa desenvolvida por Laíse Oliveira Resende foi premiada pela Boston Scientific, uma empresa global da área de tecnologia médica. O prêmio é concedido em parceria com o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica, para inovações que possam ser aplicadas clinicamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

Testes

Orientador da pesquisa, o professor da Faculdade de Engenharia Elétrica da UFU, Adriano de Oliveira, explicou que ainda é preciso realizar testes em laboratórios para verificar as propriedades químicas e elétricas do sensor, antes dele ser testado em pacientes.

“Em relação à engenharia, é preciso fazer modelagem matemática, cruzamento de dados e análises de sinais. Várias ferramentas e estratégias de análise são aplicadas sobre os dados, para que seja possível fazer uma caracterização melhor dos resultados”, acrescentou Oliveira.

O docente informou, ainda, que o material utilizado na produção dos sensores pode ser facilmente desenvolvido no Brasil, o que pode diminuir o preço dele.

Concurso para projeto de equipamento móvel de higienização de mãos é promovido pela UFU

De acordo com Laíse Oliveira Resende, que desenvolveu a pesquisa com ênfase em Engenharia Biomédica e Cardiologia, o equipamento construído é capaz de identificar as proteínas troponina T e a proteína C reativa de forma mais rápida. Ambas são liberadas no sangue durante o infarto do miocárdio.

“Desenvolvemos um método sensível e específico para detecção e quantificação de troponina T e proteína C reativa, com obtenção de resultados relevantes e promissores. A análise da entropia dos traçados eletrocardiográficos possibilitou o incremento desta característica para melhor avaliação dos pacientes e obtenção de diagnóstico precoce”, explicou.

Ainda segundo a pesquisa, o novo método deve melhorar o atendimento dos pacientes com problemas cardiovasculares e a escolha do melhor tratamento. Atualmente, o tempo para identificação destes marcadores depende da tecnologia utilizada, que varia de acordo com cada hospital.

“Com uma pequena amostra de sangue, é possível a obtenção do resultado de forma rápida. Nosso objetivo foi a realização da análise precocemente, de forma menos invasiva e com ampla possibilidade de aplicação clínica”, afirmou a pesquisadora.

Ela informou também que a nova tecnologia tem custo inferior aos métodos tradicionais utilizados atualmente. Outra vantagem do equipamento é a facilidade de manuseio e, por ser portátil, pode ficar disponível na sala de emergência e ser feito quando o paciente é admitido no hospital.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2020/04/22/campanha-da-epharma-homenageia-profissionais-da-linha-de-frente-no-combate-a-covid-19/

Premiação

A pesquisa desenvolvida por Laíse Oliveira Resende foi premiada pela Boston Scientific, uma empresa global da área de tecnologia médica. O prêmio é concedido em parceria com o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica, para inovações que possam ser aplicadas clinicamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

Orientador da pesquisa, o professor da Faculdade de Engenharia Elétrica da UFU, Adriano de Oliveira, explicou que ainda é preciso realizar testes em laboratórios para verificar as propriedades químicas e elétricas do sensor, antes dele ser testado em pacientes.

“Em relação à engenharia, é preciso fazer modelagem matemática, cruzamento de dados e análises de sinais. Várias ferramentas e estratégias de análise são aplicadas sobre os dados, para que seja possível fazer uma caracterização melhor dos resultados”, acrescentou Oliveira.

O docente informou, ainda, que o material utilizado na produção dos sensores pode ser facilmente desenvolvido no Brasil, o que pode diminuir o preço dele.

Fonte: G1

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra