fbpx

Prefeito sugere ‘rodízio humano’ para combater coronavírus no litoral de SP

coronavírus
Eu es — Foto: Reprodução/TV Tribuna

O Prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão (PSDB), afirmou que avalia a possibilidade de implementar uma espécie de ‘rodízio humano’ na cidade. O objetivo da ação seria definir dias para que parte da população possa frequentar os comércios. A medida, segundo explica, ainda está em fase de estudo e tem como objetivo permitir que haja a retomada da atividade econômica, garantindo medidas de prevenção ao novo coronavírus.

O anúncio foi feito pelo prefeito durante uma transmissão ao vivo realizada pelo Grupo Tribuna nesta quinta-feira (16). Mourão explicou que a ideia seria semelhante a um rodízio de carros, criando uma tabela para separar horários para as pessoas frequentarem os comércios, dividindo os grupos pelo final do número do RG. A medida ainda está em fase de estudo e, segundo o prefeito, será discutida com especialistas e com a sociedade nos próximos dias.

“A explicação é bastante simples. Para ir ao supermercado, por exemplo, poderíamos dividir as pessoas em uma tabela. Na segunda-feira, das 7h às 11h, o grupo com final 0 e 1 de RG estará liberado para frequentar o supermercado. Das 11h às 15h, o grupo com final 2 e 3, e no terceiro turno, o grupo 5 e 6. Assim por diante. A ideia é permitir que cada pessoa possa ir no supermercado duas vezes por semana, por exemplo”, explica.

Com uma iniciativa como essa, segundo o prefeito, poderia haver o rodízio ao longo da semana. “Duas vezes por semana a pessoa vai ao supermercado e com isso você reduz em 80% o fluxo de rua. Depois, você vai fazendo isso com o banco e com outros comércios, adaptando para cada estabelecimento uma tabela, de forma que só 20% da população esteja diariamente na rua, mas que garanta que semanalmente todos façam o consumo”, relata.

De acordo com ele, caso a medida seja implantada, haveria fiscalização por conta dos comerciantes e da polícia. Caso a determinação de divisão não fosse respeitada pela população, haveria aplicação de multas. “Poderia fazer também uma escala de lazer de três a quatro horas cada um, com acesso apenas ao calçadão da praia. Quem sabe Praia Grande dá o exemplo e cria uma forma de fazer o isolamento com responsabilidade. Claro que manteríamos o rigor com relação ao uso de medidas preventivas”, garante Mourão.

Mourão ainda afirma que manterá as escolas fechadas, devido as crianças serem assintomáticas e transmissoras da doença. “Não é uma gripe qualquer. Então fico muito apreensivo e preocupado”, diz. O prefeito ainda defende que o momento é de união política em prol da prevenção a doença. “A luta é por achar uma melhor fórmula de isolamento. A ideia é ouvir os seguimentos comerciais e entender a necessidade de cada um, achando uma forma de não ter muita gente circulando. Dar a possibilidade das pessoas voltarem a trabalhar, mas com critérios”, acrescenta.

Coronavírus em Praia Grande

A cidade de Praia Grande já tem 89 pacientes com coronavírus, sendo 11 óbitos, segundo dados divulgados pela prefeitura até a última atualização desta reportagem. O município monitora mais de 400 casos suspeitos, tem 29 pacientes internados, sendo sete deles em UTIs.

Como forma de tentar evitar a disseminação da doença na região, o prefeito Alberto Mourão disse, nas redes sociais, que os moradores que não usarem máscara nas ruas poderão ser multados em Praia Grande. A declaração foi feita após a Organização Mundial de Saúde e o Ministério da Saúde recomendarem o uso de máscaras no combate ao novo coronavírus (Covid-19).

Em nota ao G1, a Prefeitura de Praia Grande apontou que o prefeito iria estudar ‘dispositivos no Código de Posturas do Município’ para que a população se utilize de máscaras e que estudaria a possibilidade da aplicação de alguma penalidade para a infração de medida sanitária preventiva, prevista nos crimes contra à saúde pública.

O anúncio foi feito pelo prefeito durante uma transmissão ao vivo realizada pelo Grupo Tribuna nesta quinta-feira (16). Mourão explicou que a ideia seria semelhante a um rodízio de carros, criando uma tabela para separar horários para as pessoas frequentarem os comércios, dividindo os grupos pelo final do número do RG. A medida ainda está em fase de estudo e, segundo o prefeito, será discutida com especialistas e com a sociedade nos próximos dias.

“A explicação é bastante simples. Para ir ao supermercado, por exemplo, poderíamos dividir as pessoas em uma tabela. Na segunda-feira, das 7h às 11h, o grupo com final 0 e 1 de RG estará liberado para frequentar o supermercado. Das 11h às 15h, o grupo com final 2 e 3, e no terceiro turno, o grupo 5 e 6. Assim por diante. A ideia é permitir que cada pessoa possa ir no supermercado duas vezes por semana, por exemplo”, explica.

Com uma iniciativa como essa, segundo o prefeito, poderia haver o rodízio ao longo da semana. “Duas vezes por semana a pessoa vai ao supermercado e com isso você reduz em 80% o fluxo de rua. Depois, você vai fazendo isso com o banco e com outros comércios, adaptando para cada estabelecimento uma tabela, de forma que só 20% da população esteja diariamente na rua, mas que garanta que semanalmente todos façam o consumo”, relata.

De acordo com ele, caso a medida seja implantada, haveria fiscalização por conta dos comerciantes e da polícia. Caso a determinação de divisão não fosse respeitada pela população, haveria aplicação de multas. “Poderia fazer também uma escala de lazer de três a quatro horas cada um, com acesso apenas ao calçadão da praia. Quem sabe Praia Grande dá o exemplo e cria uma forma de fazer o isolamento com responsabilidade. Claro que manteríamos o rigor com relação ao uso de medidas preventivas”, garante Mourão.

Mourão ainda afirma que manterá as escolas fechadas, devido as crianças serem assintomáticas e transmissoras da doença. “Não é uma gripe qualquer. Então fico muito apreensivo e preocupado”, diz. O prefeito ainda defende que o momento é de união política em prol da prevenção a doença. “A luta é por achar uma melhor fórmula de isolamento. A ideia é ouvir os seguimentos comerciais e entender a necessidade de cada um, achando uma forma de não ter muita gente circulando. Dar a possibilidade das pessoas voltarem a trabalhar, mas com critérios”, acrescenta.

A cidade de Praia Grande já tem 89 pacientes com coronavírus, sendo 11 óbitos, segundo dados divulgados pela prefeitura até a última atualização desta reportagem. O município monitora mais de 400 casos suspeitos, tem 29 pacientes internados, sendo sete deles em UTIs.

Como forma de tentar evitar a disseminação da doença na região, o prefeito Alberto Mourão disse, nas redes sociais, que os moradores que não usarem máscara nas ruas poderão ser multados em Praia Grande. A declaração foi feita após a Organização Mundial de Saúde e o Ministério da Saúde recomendarem o uso de máscaras no combate ao novo coronavírus (Covid-19).

Em nota ao G1, a Prefeitura de Praia Grande apontou que o prefeito iria estudar ‘dispositivos no Código de Posturas do Município’ para que a população se utilize de máscaras e que estudaria a possibilidade da aplicação de alguma penalidade para a infração de medida sanitária preventiva, prevista nos crimes contra à saúde pública.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/ 

Fonte: G1

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Notícias relacionadas

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra