fbpx
O maior canal de informação do setor

Profissionais passam por treinamento para diagnóstico molecular da Zika, Dengue e Chicungunya

479

Até o final deste ano o Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe (Lacen-SE), unidade da Fundação de Saúde Parreiras Horta (FSPH), que integra a Rede Estadual de Saúde, realizará exames para o diagnóstico molecular, multiplex, da Zika, Dengue e Chikungunya (ZDC), vírus transmitidos pelo vetor do Aedes aegypti. O novo teste permite pesquisar os vírus ainda no organismo do paciente, tendo um resultado mais precoce. Todas as análises serão processadas com o uso do kit desenvolvido pelo laboratório Bio-Manguinhos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A superintendente do Lacen, Danuza Duarte Costa, informou que Sergipe foi selecionado para compor um grupo com os cinco primeiros Estados brasileiros a ter o diagnóstico ZDC implantado. “A metodologia ZDC é um tríplex em biologia molecular onde são realizados três testes simultaneamente. O serviço irá otimizar o resultado das análises que com base em dados precisos possibilitará  estratégias na tomada de ações das Vigilância Epidemiológicas do estado e dos municípios para o combate, ao vetor do mosquito”, frisou.

Foto: Divulgação/ SES

Para implantação dos testes a equipe técnica do serviço de Biologia Molecular da unidade passou por um treinamento ministrado pela biomédica, Priscilla Almeida do laboratório Bio-Manguinhos. Em dois dias de atividades, os profissionais realizaram a extração do material genético e utilização do kit fechado para o multiplex que faz as três análises, zika, dengue e chicungunya em uma única amostra.

“O Lacen dará início aos testes em amostras clinicas para o diagnóstico do ZDC, quando a unidade receber os kits do Ministério da Saúde. Esses materiais estão em processo final de aquisição e provavelmente até o final do ano, estaremos recebendo e dando início à aplicação dessa nova técnica no Estado”, frisou o farmacêutico bioquímico, Cliomar Alves, gerente da Biologia Molecular do Lacen Sergipe.

Ele explicou também que o acesso ao exame segue a orientação padrão. “O usuário com os sintomas de um dos vírus procura o médico que faz a solicitação para realização do teste de suspeita para um dos três vírus, até o quinto dia dos primeiros sintomas. Para isso é coletada uma amostra de sangue, urina ou líquor. Esse material segue para o laboratório onde é iniciado o procedimento. O resultado dessas análises sai em até cinco dias”, informou Cliomar.

Método

O diagnóstico da ZDC se dá a partir da extração do RNA viral circulante. As análises utilizarão o método baseado em PCR (reação em cadeia da polimerase) em tempo real, através do monitoramento contínuo do sinal fluorescente ao longo dos ciclos de amplificação e da conversão do sinal fluorescente em valor numérico para cada amostra analisada. O Lacen é a unidade laboratorial de referência de Sergipe, responsável pelas ações laboratoriais de média e alta complexidade em Vigilância em Saúde.

Fonte: Jornal da Cidade

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação