O maior canal de informação do setor

Quais são as marcas de beleza que mais brilham no digital?

398

Beleza – No quarto país do mundo que mais consome produtos de higiene e beleza, as principais marcas do setor detêm um poderoso ativo de 250 milhões de seguidores no mundo digital. É o que aponta um estudo da plataforma de monitoramento Zeeng , produzido com exclusividade para o Panorama Farmacêutico .

O levantamento elegeu ainda as 20 fabricantes e marcas de cosméticos com melhor posicionamento online, considerando indicadores das redes sociais, conteúdos noticiosos e web analytics no período de 10 de maio a 10 de agosto de 2021. Clique aqui para conferir o estudo na íntegra.

Líderes em presença digital

Segundo a pesquisa, das cinco marcas com melhor escore, três têm sua atuação mais reconhecida pelas vendas diretas – Avon , O Boticário e Jequiti . No entanto, a pandemia serviu de estímulo para essas empresas abrirem horizontes e direcionarem o olhar para o varejo farmacêutico. A Jequiti, por exemplo, firmou parceria para incorporação de seus produtos às lojas da Coop – Cooperativa de Consumo no estado de São Paulo.

‘A Covid-19 forçou uma reinvenção do modelo de venda por meio de consultores e a necessidade de evitar contato direto com os clientes levou a uma presença mais ativa desses players nas redes sociais. E do ponto de vista comercial, a maior relevância das farmácias como pontos de saúde também pode ter incentivado esse movimento’, comenta Eduardo Prange , CEO da Zeeng. Eudora e Nivea completam o top 5.

Campeões de audiência

Das 250 milhões de pessoas que as principais marcas mobilizam nas redes sociais, duas concentram mais de 25% dessa audiência. São elas a L’Oréal , com 36 milhões de fãs; e a Dove , com 28 milhões. A liderança da L’Oréal pode ter relação com a estratégia digital integrada, que contempla também plataformas de e-commerce como o DermaClub, clube de vantagens das linhas La Roche-Posay, Vichy, SkinCeuticals e CeraVe.

Redes com mais engajamento

O período analisado registrou mais de 4,4 mil postagens, uma expressiva média de 47 publicações diárias. Com 7,9 milhões de interações, o Instagram contabilizou mais de 40% do engajamento. É a rede mais utilizada, representando 34,1% do volume de posts. Mas chama a atenção a aposta no Twitter, canal que teve 29,1% dos conteúdos, boa parte resultado de ações de marketing de influência. ‘É uma mídia ainda pouco explorada pelo varejo de modo geral, mas que permite uma comunicação de efeito rápido’, acredita Prange.

Tráfego nos websites

Em média, os usuários clicam em 172,6 links e visualizam 2,4 páginas. ‘E a taxa de rejeição dos 20 players é de 25,2%, o que mostra bastante interatividade nesses sites. Outro detalhe é que, via de regra, quem se destaca tem o website integrado diretamente a uma ferramenta de comércio eletrônico’, ressalta.

Conteúdos noticiosos

Já quando o assunto é a veiculação de conteúdos noticiosos na internet, a Johnson & Johnson foi, disparada, a marca de maior presença midiática. A companhia foi tema de 63% das 10 mil publicações no período. ‘Interessante notar que, além das pautas de beleza e cuidados pessoais, assuntos como diversidade e sustentabilidade também sobressaem e revelam que a agenda social tem papel relevante na agenda do setor’, conclui.

Fonte: SBVC – Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/visiott-preve-crescer-no-brasil-com-rastreabilidade-de-medicamentos/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação