O maior canal de informação do setor

Receita dos Estados sobe 25,3% no 1º semestre e bate recorde

132

Os Estados tiveram alta na receita tributária de 25,3% no 1º semestre de 2021 em relação ao mesmo período de 2020. É o maior aumento da série histórica, iniciada em 1999. Descontada a inflação, a elevação foi de 18,5%. Os dados são do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária).

De janeiro a junho de 2021 foram arrecadados R$ 362 bilhões. Nos 6 primeiros meses de 2020, a arrecadação foi de R$ 288,8 bilhões.

Faltam dados do Rio Grande do Sul e de Tocantins. Quando forem incluídos, o total crescerá. Todos os Estados arrecadaram mais no 1º semestre de 2021. Roraima teve a maior alta: 64,1%.

Os meses de abril, maio e junho puxaram o crescimento. O 2º trimestre de 2021 registrou elevação de 42,3% ante o 2º trimestre de 2020, o mais afetado pela pandemia. Descontada a inflação, 33,1%.

No 1º trimestre, a alta nominal em relação ao mesmo período de 2020 havia sido de 9,5%, e em valores reais, 4,3%.

A elevação sinaliza melhora no ambiente econômico. A base de arrecadação é o ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços). Corresponde a 80% dos tributos que os Estados recebem. Arrecadação maior significa que as pessoas e empresas aumentaram os gastos.

Na comparação com o 1º semestre de 2019, anterior à pandemia, a alta nominal foi de 20%. Descontada a inflação pelo IPCA, a alta no período foi de 9,7%.

O governo federal teve aumento semelhante na arrecadação do 1º semestre ante o mesmo período do ano passado: 24,5%. Houve alta do Imposto de Renda das empresas, que tiveram maior lucro.

Fonte: Poder 360

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/canal-farma-preve-receita-maior/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação