fbpx
O maior canal de informação do setor

Rede de farmácia CVS demite dois funcionários após acusação de racismo

POR THE NEW YORK TIMES

Mulher negra diz que polícia foi chamada depois de empregados alegarem que seu cupom de desconto era falso

NOVA YORK – Pouco mais de três meses após o escândalo da prisão de dois homens negros em uma loja do Starbucks na Filadélfia, a rede de farmácias CVS demitiu dois funcionários de uma unidade em Chicago dias depois de uma mulher negra ter publicado um vídeo em redes sociais que mostra um deles — um homem branco — chamando a polícia quando ela tentou usar um cupom de desconto que ele acreditava ser falso. A CVS também afirmou que pediu desculpas à mulher, Camilla Hudson.

Em seu post no Facebook, ela disse que o confronto ocorreu com dois gerentes em uma visita à loja numa sexta-feira à noite. Camilla contou que tentou fazer uma compra com um cupom recebido do fabricante dos produtos, mas que um gerente declarou que era falso. A foto do cupom mostrava a data da validade, de dezembro de 2018, e o valor de US$ 17,99 para a aquisição de itens médicos.

Em seu post no Facebook, ela disse que o confronto ocorreu com dois gerentes em uma visita à loja numa sexta-feira à noite. Camilla contou que tentou fazer uma compra com um cupom recebido do fabricante dos produtos, mas que um gerente declarou que era falso. A foto do cupom mostrava a data da validade, de dezembro de 2018, e o valor de US$ 17,99 para a aquisição de itens médicos.

Em um momento, o gerente saiu de perto e, quando ela o seguiu, ele foi para o fim da loja e “bateu a porta” em sua cara. Foi nesse momento que chegou um outro gerente da loja e pediu que ela deixasse o local porque ele tinha chamado a polícia.

O vídeo mostra um funcionário, que se identifica para a polícia como Morry Matson, descrevendo Camilla Hudson.

Em um comunicado, a polícia de Chicago diz que os policiais atenderam um chamado de “ataque em andamento” na CVS. “A polícia foi informada que uma mulher estava dentro da loja ameaçando os funcionários e se recusava a deixar o local”, diz o texto, acrescentando que “a vítima não fez denúncias e nenhum processo foi aberto na polícia”.

A rede CVS também divulgou um comunicado em que “desculpava-se à senhora Hudson por sua experiência” e que após uma investigação “os dois colegas envolvidos no caso não são mais empregados da CVS Health”. Sem identificar os funcionários, um porta-voz da empresa afirmou apenas que eles eram os supervisores da loja no momento.

Em abril, dois homens negros foram presos em uma das lojas da Starbucks na Filadélfia, nos Estados Unidos. Eles se sentaram a uma mesa e nada pediram enquanto esperavam um amigo. O comportamento foi considerado suspeito pelos funcionários, que os acusaram de invadir a loja e ligaram para a polícia.

Os homens receberam uma compensação simbólica de US$ 1 cada um e a promessa da prefeitura de que será criado um fundo de US$ 200 mil para jovens empreendedores. Além disso, a Starbucks aceitou cobrir seus gastos universitários.

O episódio da rede de farmácias CVS é o mais recente entre diferentes casos de uma pessoa branca chamar a polícia por causa de uma pessoa negra. Entre as situações, o gerente branco de um condomínio que chamou a polícia por causa de um homem negro usando meias na área da piscina, uma mulher branca que recorreu à polícia porque uma menina negra de oito anos estava vendendo água e um estudante branco de Yale que reclamou de um colega negro que tinha dormido no seu dormitório.

Fonte: O Globo

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra