fbpx

Sobe para 20 o número de mortes por H1N1 no estado do Rio

O estado do Rio de Janeiro registrou, até esta terça-feira (28) 20 mortes por gripe ( influenza ). Especialistas afirmam que, neste ritmo, é possível que o número de óbitos pela doença em 2019 seja mais alto que o de 2018, quando 30 pessoas morreram pela doença. A única forma de se prevenir é pela vacina, que está disponível nos postos de saúde até o dia 15 de junho. Todas as mortes foram de pessoas infectadas com o vírus H1N1 .

A campanha tem como objetivo vacinar aproximadamente 1,5 milhão de idosos, crianças de seis meses a 6 anos incompletos, grávidas, puérperas, trabalhadores de saúde, portadores de doenças crônicas e professores da rede regular de ensino.

Ano passado, segundo o Ministério da Saúde, as gestantes e as crianças foram os únicos grupos que ficaram abaixo da meta, com 80,8% e 77,8% de cobertura, respectivamente. Todos os outros grupos atingiram o patamar de 90%.

A faixa etária das crianças foi ampliada este ano. Em 2018, ia até 5 anos. Agora, vai até menores de 6 anos, o que inclui 2,8 milhões na campanha.

Os primeiros a ser vacinados são as crianças, as gestantes e os idosos. Segundo o Ministério da Saúde, a escolha dos grupos que receberão a vacina segue recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Essa definição também é baseada em estudos epidemiológicos e no comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. Por isso, são priorizadas as populações com maior chance de complicações e óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave.

A vacina que será aplicada na campanha deste ano teve mudança em duas das três cepas e protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS. São eles: A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09; A/Switzerland/8060/2017 (H3N2); B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87).

Pessoas que tenham apresentado febre recente devem adiar a vacinação até que o estado de saúde melhore.

O Ministério da Saúde alerta que a vacina não causa a gripe em gestantes nem em ninguém. A vacina da gripe usa vírus inativado (morto) em sua composição, portanto, não é possível que provoque a doença causada pelos três tipos de vírus contidos na vacina.

Se a grávida estiver doente, ela precisa fazer, antes de se vacinar, uma avaliação em um serviço de saúde para saber se o caso específico requer adiamento ou contraindicação da vacina.

Quem tomou a vacina ano passado precisa tomar este anoFoto: Reprodução / Ministério da Saúde

Como há mudanças de cepas de vírus da gripe, quem faz parte dos grupos alvo (idosos, crianças de seis meses a 6 anos incompletos, gestantes, puérperas, trabalhadores de saúde, portadores de doenças crônicas, professores da rede regular de ensino) precisa tomar a dose anualmente.

Fonte: O Globo

Veja também:

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Notícias relacionadas

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra