fbpx
O maior canal de informação do setor

Vacina contra o HIV falha em testes

521

Tido como um dos mais promissores estudos que buscavam uma vacina contra o vírus causador da Aids, o HVTN 702, popularmente conhecido como Uhambo, foi interrompido por insatisfação com os resultados. Baseado em um ensaio clínico feito na Tailândia, as pesquisas aconteciam na África do Sul desde 2016.

Existem tratamentos que permitem um paciente conviver com o vírus, mas a única forma e barrar a epidemia em países como o da sede do estudo seria a criação de vacinas. Estudos estimam que 1.7 milhão de pessoas ainda contraiam HIV todos os anos.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2020/02/03/vacina-para-coronavirus-pode-sair-em-tempo-recorde/

O teste tailandês que serviu de guia para o Uhambo é o mais promissor, apresentando 31% de sucesso. Participaram do HVTN 702 5.400 voluntários que não haviam sido infectados pelo vírus, vindos de diversas localidades na África do Sul. Todos os participantes eram sexualmente ativos, tinham entre 18 e 35 anos, tanto homens quanto mulheres. Acredita-se  que o estudo africano não apresentou o mesmo resultado que o asiático devido  ao risco maior de infecção na África.

Existem mais dois estudos sul-africanos em andamento. Um focado em mulheres e outro em homens cis e trans. Ambos tem previsão de término em 2021.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

 

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação