O maior canal de informação do setor

Vacina de Oxford espera apresentar resultado de fase 3 em dezembro

211

A Universidade de Oxford espera apresentar até dezembro os resultados da fase 3 de testes da vacina contra a covid-19 desenvolvida em parceria com a AstraZeneca. A vacinação, no entanto, deve ocorrer apenas em 2021.

Siga a nossa página no Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Andrew Pollard, chefe do grupo de Oxford responsável pelo imunizante, afirmou em audiência no Parlamento Britânico nessa 4ª feira (4.nov.2020) que o 1º passo para aprovação da vacina é avaliar sua eficácia. “Estou otimista de que poderemos chegar a esse ponto antes do final deste ano“, disse.

“Precisamos que isso aconteça para que haja 1 escrutínio muito cuidadoso de tudo o que foi feito nos testes clínicos, para verificar sua integridade e a qualidade dos dados e para ter certeza que os resultados estão corretos”, falou.

Kate Bingham, chefe da força-tarefa de vacinas do Reino Unido, disse ao comitê parlamentar que essa análise pode levar semanas. Segundo ela, a fabricação da vacina está em estágio avançado. Bingham, no entanto, não revelou quantas doses já foram produzidas.

“Se eu olhasse o copo meio cheio, esperaria ver dados provisórios positivos tanto da Oxford quanto da Pfizer/BioNTech no início de dezembro. Se tivermos isso, acho que temos a possibilidade de distribuir até o final do ano”, afirmou Kate.

“De nossa parte, estamos chegando mais perto, mas ainda não chegamos l, falou Pollard. Questionado se existia a possibilidade da vacina de Oxford estar disponível antes do Natal, ele respondeu: “Existe uma chance pequena de isto ser possível, mas na verdade não sei.”

Resultados preliminares dos testes mostram que o imunizante produz resposta imunológica robusta em idosos. Além disso, o grupo tem menos reações adversas à substância.

O Brasil tem acordo com a AstraZeneca para a aquisição de 30 milhões de doses independentemente do resultado dos testes. A parceria estipula também a incorporação de tecnologia para a fabricação, pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), de mais 70 milhões de unidades, dependendo do êxito do ensaio clínico.

Fonte: MSN

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2020/11/04/pilbox-quer-mais-negocios-com-distribuidores-e-redes-regionais/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação