fbpx
O maior canal de informação do setor

Bolsonaro prevê caos social com lockdown…

121

Mesmo com as mais de 270 mil mortes pela covid-19 no país, o colapso no sistema de saúde e a vacinação lenta da população, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o lockdown adotado por estados e o Distrito Federal. Na visão dele, governadores e prefeitos estão ‘destruindo’ a economia. ‘Até quando? Até quando nossa economia vai resistir? Se colapsar, vai ser uma desgraça. O que poderemos ter brevemente? Invasão a supermercado, fogo em ônibus, greves, piquetes, paralisações’, enumerou. ‘Aonde vamos chegar? Será tarde para o sapo sair da panela’, emendou, durante participação virtual em reunião da Frente Parlamentar Mista das Micro e Pequenas Empresas, do Congresso Nacional.

Bolsonaro disse que as medidas de contenção do novo coronavírus são irresponsáveis. ‘Ficamos praticamente um ano em lockdown e começamos este ano com novas medidas seriamente restritivas, até para cancelar o futebol’, disse. ‘Eles (prefeitos e governadores) não querem salvar vidas, querem poder’, enfatizou. Segundo o mandatário, as ações implementadas são para ‘prejudicar a economia e o presidente da República’.

Siga nosso Instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

O toque de recolher, decretado em São Paulo (leia reportagem na página 5) e no Distrito Federal, também foi alvo de reprovação de Bolsonaro, que chamou a iniciativa de ‘estado de sítio’. ‘De 22h às 5h da manhã ninguém pode andar. Só eu poderia tomar uma medida dessa e, assim mesmo, ouvindo o Congresso Nacional. Então, na verdade, medida extrema dessa, só o presidente da República e o Congresso Nacional poderiam tomar. E nós vamos deixando isso acontecer’, disparou. A lei, porém, garante direito aos governadores de adotarem tais medidas em períodos de calamidade na saúde.

O chefe do Planalto rebateu críticas contra o governo e afirmou que a administração federal não tem ficado ‘à margem do que está acontecendo’. Nesta semana, a atuação do Executivo na crise sanitária foi reprovada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo governador de São Paulo, João Doria, dois possíveis candidatos à eleição presidencial de 2022.

De acordo com Bolsonaro, o governo tomou medidas para combater o novo coronavírus desde o ‘primeiro momento’. Por isso, segundo ressaltou, não pode ser acusado de negacionista, terraplanista ou genocida. ‘Estamos no caminho certo. Faremos de tudo possível para diminuir o número de mortes e, se Deus quiser, zerar o número de mortes no Brasil, no tocante à vacina, no tocante ao coronavírus’, destacou.

O comandante do Planalto também negou que tenha se posicionado contra a saúde das pessoas, apesar de minimizar a covid-19 desde o início da pandemia, quando, por exemplo, chamou o vírus de ‘gripezinha’. Ele reforçou que ‘emprego também é vida’. ‘Você que está empregado, estamos trabalhando para manter seu emprego, não estamos fazendo política’, afirmou.

O presidente disse ‘lamentar todas as mortes’. ‘Lamento esta desgraça que se abateu sobre o mundo, mas nós temos que olhar para frente, buscar minimizar a dor dessas pessoas, buscar minimizá-la com vacina’, afirmou. ‘Toma vacina. Abrimos para comprar praticamente de todos os laboratórios depois de aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).’ O presidente sustentou que nunca foi contra imunizantes. Em dezembro, porém, garantiu que não tomaria vacina. (Com Agência Estado)

Fonte: Correio Braziliense Online

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação