Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

O uso da cannabis contra o mal de Parkinson

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

cannabis contra o mal de Parkinson

O tratamento com cannabis contra o mal de Parkinson foi considerado uma possível terapia por alguns especialistas, pois a substância possui propriedades neuroprotetoras que ajudam a bloquear os sintomas. O deputado estadual Eduardo Suplicy revelou ter recorrido ao tratamento para combater os efeitos da doença.

É importante entender melhor como a cannabis pode ajudar no tratamento do Parkinson e quais os riscos envolvidos no uso de cannabis para tratamento da doença.

O Parkinson é uma doença neurodegenerativa que afeta principalmente o movimento. A doença é causada por uma diminuição na produção dos neurotransmissores dopamina e acetilcolina. Quando os sintomas da doença se tornam mais graves, a coordenação motora é afetada, resultando em tremores, rigidez e falta de energia. Embora não haja cura para o Parkinson, existem tratamentos disponíveis para ajudar a controlar os sintomas da doença.

Cannabis contra o mal de Parkinson? Como funciona?

Muitos estudos sugerem que a cannabis contra o mal de Parkinson pode ter eficácia em função das suas propriedades neuroprotetoras. Os principais componentes ativos de cannabis, THC e CBD, têm demonstrado ter algum efeito neuroprotetor. Pesquisas mostram que o THC pode desempenhar um papel positivo no controle da doença, ajudando a reduzir os seus sintomas, como tremores, rigidez, redução da atividade motora e falta de energia. O componente também tem ação protetora sobre as células nervosas, ajudando a preservar a memória e os movimentos.

Além disso, o CBD desempenha um papel positivo na terapia do Parkinson. Esse elemento atua contras as células nervosas, prevenindo danos ao sistema nervoso, minimizando a rigidez muscular, aliviar a fadiga e ajudar a melhorar o sono.

Riscos do uso do cannabis no tratamento do Parkinson

Embora o uso de cannabis possa ajudar a aliviar alguns dos sintomas do Parkinson, existem alguns riscos potenciais associados ao seu uso. O excesso de cannabis pode levar a dependência, além de influenciar a memória, a concentração, o comportamento e o humor do usuário. O consumo está associado a efeitos colaterais como náuseas, vômitos, tonturas, ansiedade, depressão e ataques de pânico. Por isso, é importante consultar um médico qualificado antes de iniciar o uso de cannabis para o tratamento do Parkinson.

O tratamento do Parkinson com cannabis pode ser uma ótima opção para aliviar os sintomas da doença. O THC pode ajudar a reduzir a rigidez muscular, a fadiga e a melhorar o sono, enquanto o CBD pode ajudar a proteger as células nervosas. No entanto, é essencial ter em mente que o uso excessivo do medicamento pode levar a dependência e outros efeitos colaterais indesejáveis. A terapia deve sempre ser feito sob orientação médica. Para acessar mais notícias e informações sobre tratamento

Este conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta médica. Para esclarecimento de dúvidas adicionais sobre uma patologia, medicamento ou tratamento, converse com um profissional de saúde de sua confiança. Evite sempre a automedicação.

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress