fbpx
O maior canal de informação do setor

Disfunção erétil: tire 8 dúvidas sobre o problema

318

Problema que atinge mais da metade dos homens acima dos 40 anos, a disfunção erétil é mais comum do que se imagina. Apesar disso, segue sendo

Problema que atinge mais da metade dos homens acima dos 40 anos, a disfunção erétil é mais comum do que se imagina. Apesar disso, segue sendo um tabu.

Veja também: Insônia pode ter relação com doenças cardiovasculares

E se a disfunção erétil já atinge tantos homens, a tendência é piorar. Especialistas apontam que o estilo de vida moderno pode aumentar o número de casos e afetar em torno 322 milhões de pessoas até 2025.

Siga nosso Instagram

Por isso, é importante entender a disfunção erétil e também possíveis hábitos que podem levar a esse quadro. Nesse texto iremos responder oito dúvidas sobre o problema.

O que é disfunção erétil?

A definição de disfunção erétil é quando o homem não consegue ter ou manter uma ereção para o ato sexual. Uma ou mais estruturas envolvidas para possibilitar a ereção podem ser responsáveis pela incapacidade.

É o mesmo que impotência?

Apesar de serem palavras consideradas sinônimos, os profissionais da saúde não utilizam o termo impotência. Isso porque ele vem carregado de uma conotação negativa, o que pode gerar um fator psicológico que agrava o quadro.

O que pode causar a disfunção erétil?

As causas para a disfunção erétil podem ser várias, desde físicas, psicológicas e até mesmo químicas. Veja uma lista:

  • Disfunções hormonais
  • Problemas cardiovasculares
  • Problemas neurológicos
  • Problemas metabólicos
  • Uso de certos medicamentos
  • Tabagismo
  • Consumo de álcool e/ou drogas
  • Uso de anabolizantes
  • Ansiedade
  • Picos de adrenalina

Pode acometer jovens?

Apesar de ter uma incidência bem mais baixa, de apenas 2%, a disfunção erétil também pode atingir homens considerados jovens. Cinco são as principais prováveis causas para quadros recorrentes:

  • Ansiedade
  • Níveis muito baixos de testosterona
  • Consumo de remédios para pressão alta
  • Problema circulatório na região peniana
  • Problema neurológico que afete a região.

O tabagismo, o abuso de álcool, drogas e anabolizantes também podem provocar a disfunção.

Existe mais de um tipo?

Sim. Apesar de serem vários os tipos de disfunção erétil, três são os principais, segundo especialistas:

  • Orgânica
  • Psicogênica
  • Mista

A disfunção erétil orgânica é a que está ligada a causas físicas, como a idade, problemas de saúde ou efeitos colaterais de certos medicamentos.

A psicogênica é a que mais acomete jovens. Nesses casos, o fator psicológico é o causador do problema. Picos de adrenalina causados por ansiedade ou medo da disfunção podem gerar respostas físicas, contraindo estruturas que só permitem a ereção em caso de pleno relaxamento.

A mista é quando existem elementos de ambos os casos, ou seja, físicos e psicológicos.

Para determinar qual desses tipos de disfunção erétil acomete o paciente, o profissional da saúde analisará outros tipos naturais de ereção, como a matutina. Caso elas aconteçam, é um caso psicogênico. Se não, trata-se de um caso orgânico.

Quais os tratamentos?

É importante ressaltar que é necessário o acompanhamento de um profissional da saúde para tratar a disfunção erétil. A troca de um medicamento ou a mudança no estilo de vida, seja evitando o cigarro e drogas, ou mesmo para um aumento na autoestima, já são considerados um tratamento.

Quadros causado por problemas hormonais podem ser revertidos com tratamentos de reposição.

A terapia é indicada para casos de disfunção psicogênica ou mista. Inclusive, existem profissionais especializados na área de sexualidade.

Em casos orgânicos, alguns métodos que podem ser utilizados são:

  • Medicamentos inibidores de fosfodiesterase 5, como sildenafila, tadalafila e vardenavila
  • Injeções penianas (fármacos inseridos diretamente nos corpos cavernosos do pênis)
  • Bombas de vácuo
  • Implantes de próteses penianas

Como prevenir?

Por ser algo natural, não é possível impedir totalmente a disfunção erétil, mas com algumas atitudes, pode-se diminuir a chance de conviver com esse problema. Estilo de vida saudável e a prática regular de atividades físicas podem ajudar.

O parceiro (a) pode ajudar

Alguns casos de disfunção erétil apresentam fundo psicológico. Então, caso a pessoa com quem o paciente se relaciona interprete o episódio como perda de atração ou até mesmo “sinal” de infidelidade, isso só tende a piorar o quadro.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico


Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente
Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação