fbpx
O maior canal de informação do setor

Fiocruz receberá insumos para 12 milhões de doses

134

OMinistério da Saúde anunciou que o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz) deve receber da China, ainda no mês de maio, uma nova remessa de ingrediente farmacêutico ativo (IFA), destinada à produção de mais de 12 milhões de vacinas contra a Covid-19.

Em nota, o ministério afirmou que mais de 18 milhões de doses do imunizante já estão em processo de controle de qualidade, e serão entregues ao governo até meados de junho. Até o momento, cerca de 35 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, produzidas com IFA importado, já foram entregues pela instituição para distribuição por todo o país.

No segundo semestre, a instituição deve entregar mais 110 milhões de doses. A expectativa é que se inicie a produção da vacina contra Covid-19 integralmente brasileira ainda no mês de maio, com intuito de diminuir a dependência dos insumos produzidos na China. Em abril, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a Fiocruz a dar início à produção nacional do IFA da vacina de Oxford/AstraZeneca.

A Fiocruz e o Instituto Butantan, que produz a CoronaVac, em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, têm enfrentado dificuldades para a produção de vacina devido à falta do IFA. O governo chinês tem demorado a liberar insumos, o que atrapalha as produções no Brasil. Na última sexta-feira (14), por exemplo, após a entrega de mais um lote de vacinas, o Butantan anunciou a suspensão da produção devido à falta do IFA.

O instituto remete a questão a problemas diplomáticos entre o Brasil e a China. Integrantes do governo e pessoas próximas ao presidente já fizeram diversas críticas à China, mesmo em meio à pandemia. O último ataque que gerou um grande mal estar veio do presidente da República, Jair Bolsonaro, que insinuou que a China pode ter criado o coronavírus como parte de uma ‘guerra química’. No passado, um dos filhos do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, também criticou o gigante asiático.

ESTRUTURA

Durante visita às instalações da fundação, ontem, o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o Brasil tem uma estrutura capacitada para produzir vacinas com tecnologia totalmente nacional. ‘É a esperança para a população e para pôr fim à pandemia’, disse. Queiroga também pediu a colaboração da indústria para a compra de insumos, com o propósito de aumentar a testagem no Brasil e adquirir mais equipamentos de proteção individual, como máscaras e álcool em gel. (Correio Braziliense)

Fonte: Diário de Pernambuco

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2021/05/14/anvisa-orienta-suspensao-imediata-de-vacina-da-astrazeneca-fiocruz-para-gravidas/

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação