O maior canal de informação do setor

Gastrite não tratada pode evoluir para úlcera, alerta especialista

4.227

Você costuma sentir dores na região do estômago? Saiba que o sintoma pode indicar que uma gastrite está em ação no organismo. Caracterizada popularmente como uma “queimação” na região, a doença pode se configurar como aguda ou crônica. “A aguda é causada, em geral, como efeito colateral de medicamentos usados para outros fins, como os anti-inflamatórios. Situações de estresse, como cirurgias ou traumas, podem ser a causa do problema”, alerta Viviane Andrade Ragasson, gastroenterologista da Unimed Costa Oeste.

Veja também: Série “Tudo sobre medicamentos” chega à quinta edição

Chegar ao diagnósticoJá a gastrite crônica costuma estar associada à presença da bactéria Helicobacter pylori, que pode agredir a parede estomacal das pessoas acometidas e levar ao quadro de gastrite e até mesmo úlcera gástrica. Outras doenças, como autoimune, também pode ser responsáveis pelo quadro.

Siga nosso Instagram

Apesar de muitas pessoas relutarem na realização do exame, o diagnóstico da gastrite é comprovado apenas por meio da endoscopia digestiva. O procedimento é feito por meio de uma cânula flexível que tem na ponta uma pequena câmera, que captura as imagens do esôfago e estômago. “O exame é feito com sedação adequada, o que torna o procedimento mais confortável para o paciente”, salienta a especialista.

Após o correto diagnóstico da doença e identificação da causa, o tratamento é baseado na administração de medicamentos específicos. Ainda, deve ser realizado o tratamento da causa da gastrite, que pode consistir em erradicar o H pylori, cessar uso de medicamentos que prejudicam o estômago e mudanças alimentares, entre outras. Porém, em casos mais graves, úlceras e até mesmo casos de câncer podem surgir como consequência de gastrites mal tratadas. “Manter uma vida saudável, evitar o tabagismo, reduzir o excesso de café e álcool, além de mudanças na alimentação auxiliam na prevenção e também no tratamento da doença”, finaliza a especialista.

Fonte: Portal da Cidade

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação