fbpx
O maior canal de informação do setor

Gilberto diz que farmácias e unidades de saúde estão colapsando e grandes eventos de final de ano são ‘incoerência’

276

Colapsando – o secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo afirmou que há farmácias já ficando sem medicamentos para gripe, e unidades básicas de saúde colapsando, em decorrência do aumento de casos de gripe Influenza em Mato Grosso, provavelmente da H3N2. Segundo ele, diante deste cenário a realização de grandes eventos de réveillon é uma incoerência: ‘No dia seguinte eu sei qual é a consequência para a população’, afirmou.

Segundo o secretário, há municípios que não têm medicamentos, pedem ‘socorro’ todo dia ao Governo do Estado e mesmo assim irão promover festas de final de ano. No entanto, Gilberto lembrou que os prefeitos têm esta autonomia e podem decidir o que farão nas cidades que gerem.

‘Basta ver o cenário que se encontra a situação neste momento. As farmácias já estão colapsando no que diz respeito a fornecimento de medicação pra tratamento da influenza, as unidades de saúde já superlotadas e vejo que municípios pequenos que têm pequena estrutura de atendimento à atenção básica de saúde promovendo eventos dessa natureza, ou seja, vão acabar sobrecarregando o sistema de saúde nos principais municípios que é onde a população corre para ser socorrida. É triste verificar que no momento que nós tivemos um grande sacrifício pra controlar a pandemia agora nós estamos vendo flexibilizações imprudentes acontecendo no Brasil afora’, lamentou Gilberto.

O secretário ainda explicou que a vacina da Influenza H1N1 não protege contra a H3N2, e o imunizante para a nova cepa deve estar disponível somente em maio de 2022. ‘As pessoas que tomaram a vacina da influenza, elas têm uma certa proteção, mas não contra essa variante. E é uma infecção respiratória que pode trazer consequências mais graves, como a pandemia, sobrecarregar o sistema de saúde, então é importante que as medidas tomadas pra conter a Covid são as mesmas pra conter a influenza. Que as pessoas tenham prudência, continuem utilizando a máscara, evitando aglomeração pra que não volte a colapsar o sistema de saúde, que na atenção básica, onde essas pessoas vão ser recebidas inicialmente, já está colapsando’, finalizou.

Fonte: Repórter News

 

Veja Também: https://panoramafarmaceutico.com.br/retrospectiva-os-30-fatos-mais-marcantes-de-2021/

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação