Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Medicamentos oncológicos demoram mais de 2 anos para chegar ao SUS

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Medicamentos oncológicos

Dados alarmantes para o combate ao câncer. Segundo um levantamento da IQVIA, os medicamentos oncológicos demoram 856 dias, ou seja, mais de dois anos e quatro meses, para chegar ao SUS. As informações são do Metrópoles.

“Na comparação com a Europa, a América Latina não está muito mal. Porém, ainda temos muito a melhorar”, comenta o diretor de acesso da consultoria, André Ballalai.

Porque os medicamentos oncológicos demoram tanto?

O Brasil tem um dos processos regulatórios mais ágeis do mundo, mas mesmo assim, os pacientes que dependem dos medicamentos oncológicos têm uma longa espera pela frente para que eles sejam disponibilizados no SUS. Então, qual o motivo?

Muito dessa demora se deve aos processos que surgem após a aprovação. Uma vez que o medicamento recebe o aval da Anvisa, ele ainda depende da aprovação da Conitec para ser distribuído por meio das farmácias de alto custo.

A Conitec (Comissão Nacional de Importação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde) é um conselho do Ministério da Saúde que decide quais remédios serão ou não distribuídos pelo governo.

Segundo a pesquisa, entre 2014 e 2020, foram liberadas 79 drogas pela Anvisa, mas apenas três delas já estão disponíveis no SUS.

Nos Estados Unidos, a espera supera os mil dias

O levantamento também mostrou que a situação dos medicamentos oncológicos nos Estados Unidos é preocupante. Isso porque, apesar de a FDA costumar receber primeiro as demandas de aprovação, a demora até a distribuição chega a aproximadamente 1.523 dias, mais de quatro anos.

“Alguns fazem algumas partes do processo de forma melhor do que os outros. Podemos compartilhar o que cada um faz para melhorar o acesso”, comenta Yaneth Giha, diretora executiva da Fifarma (Federação Latino Americana de Indústrias Farmacêuticas), entidade parceira no estudo.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress
error: O conteúdo está protegido !!