O maior canal de informação do setor

Ministério da Saúde prorroga campanha de multivacinação

270

O Ministério da Saúde decidiu na sexta-feira (29) prorrogar a campanha de multivacinação em crianças e adolescentes, menores de 15 anos, até 30 de novembro. O objetivo da campanha é promover a mobilização social para a atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente.

Veja também: Diretores da Anvisa relatam ameaça de morte para vetar uso da vacina em crianças

Em meio a queda da cobertura vacinal desse público, especialmente durante a pandemia de Covid-19, a ação, que começou no dia 1º de outubro, conta com a oferta de cerca de 18 imunizantes: BCG, hepatite A e B, penta (DTP/Hib/Hep B), pneumocócica 10 valente, VIP (vacina inativada poliomielite), VRH (vacina rotavírus humano), meningocócica C (conjugada), VOP (vacina oral poliomielite), febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola, caxumba), tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba, varicela), DTP (tríplice bacteriana), varicela e HPV quadrivalente (papilomavírus humano).

Siga nosso Instagram

Até agora, mais de 3,2 milhões de doses foram aplicadas. São Paulo foi responsável pela maior parte delas (456.487), seguido por Bahia (283.230), Minas Gerais (261.673) e Ceará ( 226.298). Doses da meningocócica (444.491), febre amarela ( 349.551 ) e pentavalente (335.945) foram as mais procuradas, de acordo com o LocalizaSus.

Segundo o ministério, todas as vacinas que integram o Programa Nacional de Imunizações (PNI) são seguras e estão registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A atualização da situação vacinal, ressalta a pasta, aumenta a proteção contra doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos e hospitalizações, sequelas, tratamentos de reabilitação e óbitos. Crianças menores de 2 anos de idade foram as mais atingidas pela campanha, com mais 1,5 milhão de doses aplicadas. (Da Redação)

Fonte: Cruzeiro do Sul

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação