fbpx

Saiba para que serve o acetato de dexametasona

para que serve o acetato de dexametasona

Para que serve o acetato de dexametasona? Caso você esteja convivendo com algum fungo, é provável que esse medicamento seja a resposta.

O antifúngico tem algumas apresentações, sendo que as principais são creme dermatológico e comprimido. Neste texto, iremos de explicar tudo sobre o fármaco.

Acetato de dexametasona em creme dermatológico

Para que devo usar a dexametasona em creme?

O acetato de dexateasona em creme dermatológico é indicado para o tratamento de doenças inflamatórias e que causam coceira (pruriginosas). Estão inclusos eczemas, dermatites seborreicas e neurodermatites.

Como funciona?

A dexametasona é um corticoesteróide. Sua ação se baseia no alívio da coceira e dos sintomas causados pela inflamação. Apesar de causar um alívio quase imediato, é importante seguir o tratamento conforme a prescrição do profissional da saúde.

Quando não devo usar? 

O paciente deve evitar o uso do acetato de dexametasona caso apresente herpes simples, infecção por fungo, tuberculose da pele ou varicelas. Alérgicos também devem evitar o fármaco.

Caso você tenha sofrido uma perfuração no tímpano, você não pode aplicar o creme dermatológico na região do ouvido. A pomada também não é indicada para problemas oculares.

Além disso, o que mais devo saber antes de usar? 

Caso você desenvolva alguma infecção, seja por bactérias ou fungos, durante o tratamento com a dexametasona, ele deve ser pausado até que o quadro esteja devidamente controlado.

Grávidas só devem fazer uso do creme dermatológico se os benefícios superarem os riscos e com o acompanhamento de um profissional da saúde. Lactantes não devem aplicar o medicamento nas mamas antes da amamentação.

Caso você precise usar a pomada em áreas muito grandes do corpo ou mantenha a lesão coberta com um curativo, isso pode potencializar a ação do antifúngico, o que pode levar a reações adversas mais intensas.

Como devo armazená-lo? 

O acetato de dexametasona deve ser mantido em temperatura ambiente, ou seja, entre 15 e 30°C. Ele também deve ser protegido da luz e umidade.

Como é o tratamento?

Antes de aplicar o acetato de dexametasona, você deve limpar cuidadosamente a área afetada. De duas a três vezes por dia, aplique uma pequena quantidade do creme dermatológico na região.

Não exagere na hora de aplicar o medicamento, nem na quantidade tampouco na força.

No caso de uso no ouvido, você deve utilizar um aplicador com ponta de algodão. A frequência é a mesma, de duas a três vezes por dia.

No tratamento da psoríase, você pode usar um curativo sob a lesão.

O exposto acima vale apenas para tratamentos mais comuns com a medicação. Não a utilize sem indicação de um profissional da saúde e siga estritamente o tratamento recomendado.

E se eu esquecer?

Caso você tenha se esquecido do horário de aplicação da dexametasona, você pode aplicar assim que se lembrar. Se o horário estiver próximo da aplicação seguinte, não duplique a dose, apenas não aplique a que foi esquecida.

Quais as reações adversas? 

No geral, as reações adversas devido ao uso do acetato de dexametasona são raras, mas podem ser mais comuns nas situações em que se usa um curativo sobre a lesão.

As reações mais comuns são coceira, queimação, secura e mudança na coloração da pele. Brotoejas e foliculite também podem acontecer.

No caso de aplicação na região próxima aos olhos por tempo prolongado, pode ocorrer glaucoma e catarata.

E se eu aplicar uma dose superior ao indicado? 

Os componentes da dexametasona não costumam ser tóxicos para seres humanos, mas em casos de superdose, podem levar a alterações hormonais.

Acetato de dexametasona em comprimido

Para que devo usar? 

O acetato de dexametasona em comprimido é comumente utilizado para o tratamento de doenças reumáticas ou artríticas, cutâneas, oculares, glandulares, pulmonares, sanguíneas e gastrintestinais.

Alergopatias, endocrinopatias, doenças neoplásicas, edemas cerebrais e meningite tuberculosa também podem ser combatidas pelo medicamento.

Como funciona?

A dexametasona nesta apresentação tem uma atividade anti-inflamatória acentuada mesmo com doses baixas, mas seu efeito no metabolismo eletrolítico é leve.

Quando não devo usar?

Quando o paciente apresentar casos de infecções fúngicas sistêmicas, alergia ao medicamento e/ou seus componentes, ou tiver tomado vacinas com vírus vivo, o uso do acetato de dexametasona não é indicado.

Além disso, o que mais devo saber antes de usar?

O uso de corticoesteróides, como a dexametasona, em pacientes que sofreram infarto recente, pode causar ruptura da parede livre do ventrículo esquerdo.

Grandes doses do fármaco podem estimular o aumento na pressão arterial, retenção de sal e água, além de uma maior excreção de potássio. Nesse contexto, pode ser necessária a diminuição do consumo de sal e também uma suplementação de potássio.

Todos os medicamentos corticoesteróides causam uma maior excreção de cálcio.

Suspender o tratamento de maneira muito rápida pode provocar insuficiência adrenocortical secundária induzida por drogas, o que tende a ser evitado com a redução gradual da posologia.

Alguns sintomas como febre, dor muscular, dor nas articulações e mal-estar podem ocorrer após a suspenção de tratamentos longos. O quadro é conhecido como síndrome da retirada de corticoesteroides.

Medicamentos do tipo devem ser tomados com cautela por pacientes com:

  • Abscessos ou outras infecções piogênicas
  • Anastomose intestinal recente
  • Colite ulcerativa inespecífica se houver probabilidade de iminente perfuração
  • Diverticulite
  • Hipertensão
  • Insuficiência renal
  • Miastenia gravis
  • Osteoporose
  • Úlcera péptica ativa ou latente

O aumento da produção do hormônio cortisol (hipercortisonismo) pode causar embolia gordurosa, que é o rompimento de vasos com mistura de medula óssea com sangue, obstruindo os vasos capilares.

O efeito do remédio pode ser maior em pacientes com hipotireoidismo. Já pacientes com cirrose podem ter mais efeitos colaterais.

O esperma também pode ser afetado. Alguns pacientes apresentam uma menor mobilidade e número de espermatozoides no sêmen.

Tratamentos mais longos podem trazer danos a visão, como glaucoma e catarata, além de lesões nos nervos ópticos e maior suscetibilidade a infecções.

Assim como na versão creme, a utilização do comprimido durante a gravidez deve ter seus prós e contras ponderados por um profissional de saúde. O fármaco pode ser transferido pelo leite, o que amplia os riscos de inibição do crescimento e danos à produção endógena de corticoesteroides.

Como devo armazená-lo?

O armazenamento da dexametasona em comprimido é o mesmo indicado para a apresentação em creme dermatológico: temperatura ambiente e proteção contra luz e umidade.

Como é o tratamento?

Os comprimidos do acetato de dexametasona devem ser tomados por via oral, acompanhados por meio copo de água. A dose inicial fica na casa de 0,75 a 15 mg diárias.

Em casos mais graves, doses altas podem ser indicadas, mas, progressivamente, devem ser reduzidas até o menor nível possível. Em tratamentos mais longos, são indicados exames de urina, glicemia, aferição de pressão e peso, e raio x de tórax periodicamente.

E se eu esquecer?

Se você esquecer alguma dose da dexametasona, você não deve modificar seus horários, simplesmente esperar pela próxima dose e não duplicá-la.

Quais as reações adversas?

Não é reconhecida pela literatura a frequência com que o paciente pode apresentar reações adversas ao acetato de dexametasona, mas os principais efeitos são:

  • Distúrbios líquidos e eletrolíticos (como retenção de sódio)
  • Fraqueza muscular
  • Problemas gastrointestinais (como úlcera péptica com eventual perfuração e hemorragia)
  • Problemas dermatológicos (como retardo da cicatrização)
  • Distúrbios neurológicos (como convulsões)
  • Distúrbios psiquiátricos (como depressão ou euforia)
  • Irregularidades menstruais)
  • Danos oftalmológicos (como catarata)
  • Instabilidade no metabolismo (como balanço nitrogenado negativo a catabolismo proteico)
  • Problemas imunológicos (como imunossupressão)
  • Danos hematológicos (com diminuição da contagem de linfócitos)
  • Problemas cardiovasculares (como ruptura do miocárdio após infarto recente)
  • Aumento de peso

Para um panorama completo, consulte a bula e converse com um profissional da saúde.

E se eu aplicar uma dose superior ao indicado?

A toxicidade aguda ou morte causadas por uma superdosagem de dexametasona é rara. Caso sofra uma superdosagem, o tratamento é apenas sintomático.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Notícias relacionadas

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra