O maior canal de informação do setor

Vacina da Pfizer tem preferência mundial contra a Covid-19

82

A vacina contra o coronavírus da farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com o laboratório alemão BioNTech tornou-se a preferida dos países no combate à Covid-19. O motivo, segundo análise do Wall Street Journal, são:

– a maior proteção fornecida;

– alta eficácia da vacina contra a variante delta;

– vantagem sobre demanda para as demais vacinas.

Veja também: Exame pós vacina de Covid-19: taxa média de anticorpo neutralizante é de 64,8% em laboratório paulista

Da América Latina ao Oriente Médio, governos estão pondo à frente o imunizante das 2 empresas. Como exemplo desta retomada, está a Austrália, que agora está oferecendo a vacina depois de se isolar de concorrentes da Pfizer/Biotech. Reino Unido, Turquia, Brasil e Chile estão oferecendo o imunizante como dose de reforço contra a Covid.

Siga nosso Instagram

Já na Argentina, pela alta demanda da vacina, o país precisou rescrever uma nova lei de compra de imunizantes para poder ser viabilizado um acordo com a farmacêutica.

Wanderson de Oliveira, epidemiologista e ex-funcionário sênior do Ministério da Saúde, afirmou ao The Wall Street Journal que ‘todo mundo quer obter a melhor vacina’. O governo brasileiro aumentou a utilização do imunizante enquanto se afasta da Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

O Ministério da Saúde informou que não vai comprar a vacina CoronaVac em 2022 por ela ter sido autorizada só para uso emergencial pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A informação foi divulgada na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado, no dia 07 de outubro. Segundo Duke Global Health Innovation Center, os países compraram 3,5 bilhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech, cerca de 1 bilhão de doses a mais do que compraram da AstraZeneca PLC. A Pfizer informa que já entregou mais de 1,6 bilhão de doses para mais de 130 países.

Em meio ao aumento da popularidade, a Pfizer aumentou os preços em alguns países, especialmente pela adaptação dos imunizastes as variantes. Na União Europeia, por exemplo, a Pfizer aumentou os preços pode US$ 18 para US$ 23 a dose.

Fonte: Jornal do Tocantins

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação