Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

17 medicamentos superam 20 mi de unidades vendidas

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

17 medicamentos superam 20 milhões de unidades vendidas
Foto: Canva

Dezessete medicamentos em comercialização no mercado farmacêutico superam a casa de 20 milhões de unidades. Entre os maiores sucessos de vendas nas farmácias, estão remédios destinados ao combate do diabetes, pressão alta e gripes, além de analgésicos e soros nasais.

Medicamentos do top 5 totalizam 310 milhões de unidades

Somando apenas o top 5, 310 milhões de unidades foram comercializadas nos últimos 12 meses até agosto deste ano. Do montante, mais de 30% das vendas pertence ao líder.

O Glifage XR, antidiabético da Merck, movimentou 104,3 milhões de unidades no período, contra 84,9 milhões do segundo colocado – o Neosoro, solução nasal da Neo Química.

O pódio se completa com o Losartana da Neo Química (47,9 milhões); o Maxalgina da Natulab (42,8 milhões) e o Cimegripe da Cimed (38,6 milhões).

Desses medicamentos, os dois primeiros ganharam mercado em comparação com o mesmo período do ano anterior (respectivamente, crescimento de 14,66% e 7,77%) enquanto os demais retraíram (com redução de 14,60%, 11,70% e 17,28%, respectivamente).

Campeões de venda

Dipirona pede passagem

A Dipirona da Neo Química foi o medicamento com evolução mais acelerada no período. Das 32,1 milhões de unidades vendidas até agosto de 2022, o total saltou para 38 milhões neste ano, um avanço de 18,54%.

Destaca-se também no levantamento o Torsilax, indicado para o tratamento de reumatismo. O remédio viu as transações aumentarem 15,21% no período, pulando de 29,6 milhões para 34,1 milhões.

Fique de olho!

Genéricos e similares dominam a lista

A lista dos medicamentos mais vendidos tem o domínio dos genéricos e similares, atestando a força da indústria farmacêutica nacional na gestão dessas categorias.

“A grande maioria desses remédios destina-se ao tratamento contra hipertensão, dores e tensões musculares. Isso é um claro reflexo do aumento da prevalência das doenças crônicas e do nível de estresse e ansiedade da população”, avalia Wilton Torres, fundador da plataforma Farmaindex.

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress