O maior canal de informação do setor

Anvisa narra saga de deboches e enrolações até chegar a argentinos

147

O servidor Yunes Baptista passou uma hora de constrangimento e deboches na Neo Química Arena ao tentar autuar os quatro jogadores argentinos na partida contra o Brasil. Segundo o diretor Alex Machado Campos, responsável pela área de aeroportos, portos e fronteiras da Anvisa, o funcionário passou por várias dificuldades para realizar o trabalho.

Em entrevista à coluna de Diego Garcia, no portal Uol, Alex afirmou que funcionários da Conmebol, CBF e do estádio queriam adiar a ação do servidor. A ideia era garantir o início da partida sem que Buendía, Martínez, Romero e Lo Celso fossem abordados.

“Não vou proteger ninguém, todo mundo estava lá (…) Em nenhum momento ele (Yunes) teve acesso ao vestiário e percebemos que era para protelar a ação da Anvisa. Só quando nosso servidor percebeu o local de chegar no campo que tomou a iniciativa e foi falar com o VAR para se comunicar com o árbitro de maneira mais educada”, disse o diretor do órgão.

Yunes entrou sozinho no estádio, por volta de 15h, uma hora antes do jogo, escoltado por agentes da Polícia Federal. A partir daí, segundo Alex, o servidor foi ‘orientado’ de forma errada, propositalmente, pelas pessoas que o abordaram com crachás da partida.

“Ele relatou que se sentia constrangido durante toda a operação, pois estava sendo protelada. Me perguntou se era para dar sequência e confirmei”, contou à coluna de Diego Garcia.

Eis que a Argentina confirmou a escalação com três jogadores que descumpriram a quarentena como titulares (Martínez, Romero e Lo Celso), mesmo cientes da ação da Anvisa no estádio. “Foi um deboche. Tinham amplo conhecimento da ação da autoridade”.

Ainda de acordo com Alex Machado Campos, a Anvisa também teve dificuldades de abordar os argentinos ainda no hotel da delegação. “Fomos impedidos de realizar nosso trabalho no hotel e de segregar os jogadores em Itaquera, de forma desrespeitosa, com o servidor lá sozinho no estádio”.

Yunes só conseguiu ingressar no campo com 4 minutos de bola rolando, apoiado pelos policiais federais. Abordou o árbitro e conseguiu autuar os atletas. A Argentina retirou o time de campo, e o jogo foi suspenso. A Fifa ainda decidirá qual será o desfecho da confusão.

Fonte: Correio 24 Horas Online

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/ministerio-da-saude-negou-autorizacao-excepcional-a-argentinos-51-minutos-antes-do-jogo/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação