O maior canal de informação do setor

Vacina contra Covid: Bebês que tomaram por engano continuam internados e não apresentam sintomas, diz prefeitura

57

Os dois bebês que receberam por engano a vacina contra Covid, em Sorocaba (SP), em vez da pentavalente, continuam internados em observação no hospital Gpaci, mas não apresentaram mais nenhum sintoma desde sábado (4), segundo a Secretaria da Saúde da cidade.

Veja também: Anticorpos monoclonais podem ajudar no tratamento da Covid-19 durante a quarta onda da doença

Conforme informou a secretaria, a vacinação ocorreu na quinta-feira (2). Uma menina de dois meses e um menino de quatro meses de idade iriam receber a pentavalente, que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra uma bactéria responsável por infecções no nariz, meninge e garganta.

Siga nosso Instagram

Por ora, a técnica de enfermagem, que fez a aplicação, foi afastada da sala de procedimentos injetáveis, até a apuração e verificação das medidas que serão tomadas.

A prefeitura abriu procedimento interno para apurar a responsabilidade da funcionária que trocou as doses, que foram aplicadas na unidade básica de saúde do bairro Nova Sorocaba, na zona norte.

A Secretaria da Saúde informou que também entrou em contato com o Centro de Vigilância Epidemiológica do estado de São Paulo, o Ministério da Saúde e a fabricante da vacina, que relataram casos semelhantes ocorridos em outros locais, com sintoma de febre apresentado.

A orientação desses órgãos foi de que as crianças permanecessem em observação de 10 a 15 dias. Além de febre, um dos bebês apresentou vômito e irritabilidade.

Desespero

As mães dos dois bebês relataram à TV TEM o momento de desespero quando receberam a notícia do erro.

Ana Cláudia Mugnos Riello conta que a filha tem dois meses e, horas após a vacinação, teve febre e parou de tomar leite.

‘O secretário de saúde chegou e falou: ‘olha, mãe, três crianças foram vacinadas com a penta aqui, ontem. Duas delas receberam a da Covid. Nós não temos como saber quais destas crianças foram as que receberam’. Pediram desculpa, só que é uma vida. E se matasse a minha filha?’, disse.

‘O secretário de saúde chegou e falou: ‘olha, mãe, três crianças foram vacinadas com a penta aqui, ontem. Duas delas receberam a da Covid. Nós não temos como saber quais destas crianças foram as que receberam’. Pediram desculpa, só que é uma vida. E se matasse a minha filha?’, disse.

Para a Kathillyn Monteiro da Silva, o susto foi ainda maior. Ela estava em casa quando recebeu a visita do secretário municipal de saúde. O filho dela, de quatro meses, deveria ter recebido o reforço da vacina pentavalente, mas também aplicaram a Pfizer.

‘Como uma pessoa pode dar uma coisa errada para uma criança? É um neném ainda. Chorei muito, porque se acontece algo com meu filho?’, conta.

A Pfizer já anunciou que pretende pedir autorização para o uso da vacina em bebês acima dos seis meses nos Estados Unidos. No Brasil, a Pfizer é a única autorizada pela Anvisa para ser usada nos adolescentes a partir dos 12 anos.

Técnica de enfermagem afastada

De acordo com o diretor clínico do Gpaci, esta foi a primeira vez que o hospital recebeu um caso de bebês que tomaram vacinas contra a Covid por engano.

À TV TEM, o secretário de Saúde explicou que o erro foi descoberto no dia seguinte à aplicação, durante a checagem ao estoque de vacinas. A técnica de enfermagem responsável pelo ocorrido alegou que confundiu os frascos, pois ambos são parecidos.

Ela foi afastada dos procedimentos injetáveis. Enquanto isso, segundo o secretário, foi instaurado um procedimento administrativo para definir quais medidas devem ser tomadas.

Vinicius disse ainda que, logo após ter sido acionado pela equipe da UBS, entrou em contato com o Ministério da Saúde e com a farmacêutica responsável pela fabricação da vacina contra a Covid-19, sendo informado de que outros casos semelhantes já foram registrados no país e que as crianças tiveram febre por dois dias, mas depois ficaram bem. Os órgãos também recomendaram que os bebês fiquem em observação por um período de dez a 15 dias.

Fonte: G1

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação