O maior canal de informação do setor

‘Cheiro digital’ e frasco perfumado são novidades tecnológicas da indústria de cosméticos

101

Perfumes e aromas despertam nossas lembranças. Mas, embora seja o mais primitivo dos sentidos, o olfato é ainda o menos estudado. Criar mecanismos que estimulem e proporcionem novas experiências olfativas desde sempre têm sido o desafio da indústria de cosméticos e beleza. Agora, imagine conseguir levar os aromas para o mundo virtual. A Noar, startup brasileira, foi a primeira no mundo a conseguir isso. E criou o ‘cheiro digital’.

Veja também: EUA: Nova Jersey proíbe a venda de cosméticos testados em animais

A empresa revolucionou o mercado de beleza ao criar uma tecnologia que dispara um ‘cheiro seco’, sem gotículas, através de um dispositivo ligado a um celular. Ela permite que o cliente experimente os perfumes sem a necessidade de borrifar na pele, nem de tirar a máscara – uma vantagem em tempos de pandemia.

Siga nosso Instagram

A startup, que pertence ao grupo Wheaton – líder no mercado de frascos de vidro para o setor, já tem contratos com empresas no Brasil e no exterior, e vai lançar uma nova versão do produto no país durante a FCE Cosmetique. ‘O dispositivo, agora, virou um tablet e a fragrância pode ser testada direto no aparelho, sem a necessidade de estar conectado a um celular, nem de fazer o download do aplicativo’, explica a CEO e idealizadora da Noar, Claudia Galvão. (foto)

As pessoas vão escolher a fragrância na tela do próprio aparelho. ‘Ele comporta até 20 fragrâncias e cada refil permite 100 disparos. Quando o refil acaba, o tablet avisa para que ele seja substituído’, explica Claudia. Segundo a empresária, além de conseguir ‘encapsular as fragrâncias’, um dos maiores desafios da tecnologia foi evitar a contaminação dos diferentes aromas que são disparados pelo mesmo lugar.

Mas a tecnologia também vai ganhar outras utilidades. A Noar pretende usar o equipamento e criar softwares específicos para a área médica. O tablet poderá ser usado para testar o olfato das pessoas e até ajudar na recuperação de pacientes de Covid-19, que tiveram alguma alteração do sentido. ‘Jogos em 4D e até o uso no Metaverso já são uma realidade próxima’, explica a empresária.

A Noar nasceu na verdade como uma spin-off da Ananse, outra empresa também idealizada pela Claudia Galvão. Sabe aquele perfume que vem em catálogos e amostras que você esfrega o dedo e sente a fragrância? Pois então, criação da Ananse.

FRASCOS COM FRAGRÂNCIA

Inovação e novas tecnologias estão também no DNA da Wheaton. Em uma nova parceria, desta vez com a Ananse, a empresa desenvolveu frascos com a fragrância do próprio perfume. A partir da nanotecnologia, aquela usada nos catálogos perfumados, a fragrância é aplicada na tinta usada na serigrafia dos frascos. O que deve substituir os tradicionais perfumes de ‘teste’ nas lojas. ‘A solução é uma maneira revolucionária de testar um novo produto, no caso, um perfume. A serigrafia perfumada cria uma relação sensorial com o consumidor. Basta esfregar o dedo no desenho do frasco e saber com exatidão qual a fragrância do perfume’, explica o Diretor Comercial e de Marketing da Wheaton, Renato Massara. Novidade que também será lançada na FCE Cosmetique, que acontece de 30 de novembro a 2 de dezembro no São Paulo Expo.

Fonte: Brasil Fashion News

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação