Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Congresso debate democratização da cannabis

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Cannabis

O WNTC – We Need to Talk About Cannabis, congresso sobre cannabis medicinal realizado dentro da FCE Pharma reuniu entidades governamentais, cientistas, parlamentares e importantes players dos setores farmacêutico, médico e veterinário.

“Tanto para pesquisa e desenvolvimento, como para controle de qualidade farmacêutico de uma substância com alto potencial de cura e tratamento para diversos problemas de saúde, o WNTC tem como objetivo gerar conversas entre as frentes e viabilizar novas práticas para o uso da cannabis medicinal, por meio de porta-vozes que estão fazendo a diferença no mercado brasileiro”, afirma Nadja Bento, diretora do portfólio Life Science da NürnbergMesse Brasil.

A falta de regulamentação sobre o plantio e cultivo ainda são obstáculos para o uso amplo da cannabis medicinal no tratamento de doenças severas, como transtornos neurológicos, doenças neurodegenarativas, glaucoma, endometriose, dores musculares crônicas, epilepsia refratária, distúrbios do sono, esclerose múltipla, TEA, Parkinson, Alzheimer, doenças mentais como depressão, ansiedade e até tratamento adjuvante para câncer.

O CBD (Canabidiol) é liberado para importação no Brasil desde 2015, mas apenas para casos específicos de tratamento de epilepsias em crianças e adolescentes, refratárias às terapias convencionais; e isso com autorização para a importação excepcional de uma lista restrita de medicamentos. O THC (Tetrahidrocanabinol), princípio psicoativo da erva, também foi autorizado, mas dentro dos mesmos critérios de consumo.

Cannabis

De 2015 a 2022, o Brasil recebeu quase 80 mil pedidos de importação de CBD, segundo dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Destes, o Sistema Único de Saúde (SUS) custeou mais de R$ 50 milhões. Até 2017, o Brasil havia concedido a importação para produtos à base de cannabis para 2.101 formulários preenchidos. Em 2021, o número foi 15 vezes maior:  32.416 liberações.

Mais de 180 mil brasileiros fazem uso da cannabis medicinal

Hoje, segundo a Kaya Mind – companhia brasileira especializada em dados e inteligência de mercado no segmento da cannabis, do cânhamo e de seus periféricos, 187,5 mil brasileiros realizam tratamentos com medicamentos à base de cannabis medicinal. Na maioria das vezes, a demanda pelo uso da substância vem do próprio paciente e não do médico que irá prescrever.

Para importar a medicação, as famílias brasileiras precisam desembolsar de R$ 5 mil a R$ 10 mil por mês. Há ainda o custo com a taxa de importação e da consulta médica. Deste modo, discussões sobre democratização se fazem necessárias, uma vez que a distribuição deste tipo de medicação pelo SUS nacional impactaria positivamente pacientes em todo território nacional, independentemente de sua condição financeira.

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress
error: O conteúdo está protegido !!