O maior canal de informação do setor

Crise hídrica seguirá pesando na conta de energia em 2022, diz associação

132

Apesar das chuvas registradas nas últimas semanas, a crise hídrica segue preocupando, segundo o presidente executivo da Associação Brasileira dos Grandes Consumidores de Energia e Consumidores Livres (Abrace), Paulo Pedrosa.

Veja também: Metade dos reajustes salariais negociados até outubro não repõe a inflação

Em entrevista à CNN Rádio, ele destacou que os reservatórios do Sudeste – que são a “caixa d’água do Brasil, segundo ele – estão com armazenamento perto de 18%, o equivalente a menos de um quinto da capacidade total.

Siga nosso Instagram

Pedrosa ainda analisou que o efeito continuará sendo sentido na conta de luz: “A certeza é de que a energia será muito cara em 2022, como está sendo agora para os brasileiros e para a produção industrial.”

“A expectativa mesmo com chuvas razoáveis é de que, ano que vem, a gente continue com termelétricas caríssimas gerando energia e sendo pagas pelos consumidores”, completou.

Paulo Pedrosa defendeu a diversificação do setor energético brasileiro. “O Brasil é o país da energia barata e conta cara, temos vocação para energia renovável competitiva.”

No entanto, de acordo com ele, “é importante fazer do jeito certo”: “Hoje, quando se compra energia barata solar e eólica, se obriga também a ter produção de energia térmica cara para firmar quando não tem vento e sol.”

“Nas contas de brasileiros está o peso indireto de subsídios e modelo que não é amigável ao funcionamento eficiente do setor, precisamos modernizar, acabar com reservas de mercado e privilégios, para que o Brasil possa ser o país da energia renovável e barata do começo ao fim”, disse.

Fonte: CNN

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação