Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Faturamento da Raia Drogasil cresce 22,4% no 2º tri

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Faturamento da Raia Drogasil

O faturamento da Raia Drogasil superou R$ 7,6 bilhões no segundo trimestre de 2022, um crescimento de 22,4% sobre o mesmo período do ano anterior. A rede obteve crescimento real de 4,2 pontos percentuais acima da inflação.

O EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no segundo trimestre de 2022 alcançou R$ 727,5 milhões, um crescimento de 46,3% em relação ao registrado no mesmo período de 2021, com margem de 9,5%. O lucro líquido foi de R$ 343,7 milhões, um crescimento de 48,2%, que corresponde a uma margem líquida de 4,5%.

“Esse resultado reflete uma sólida performance estrutural, alavancada pela digitalização do relacionamento com os clientes, e um forte aproveitamento dos picos sazonais de inverno e da pré-alta”, afirmou Eugênio de Zagottis, vice-presidente de Novos Negócios e de Relações com Investidores.

Segundo o executivo, a prontidão operacional, refletida, sobretudo, na manutenção de um baixíssimo nível de ruptura, em um contexto de dificuldades de abastecimento em nível global, permitiu servir com excelência os clientes, acelerar o crescimento de vendas e incrementar a rentabilidade.

Estratégia digital puxa faturamento da Raia Drogasil

A companhia alcançou participação de mercado de 14,4% no País – incremento de 0,4 ponto porcentual – e ganhou participação em todas as regiões onde atua. No digital, a RD teve crescimento de 46,9%, totalizando receita de R$ 764 milhões, com participação de 10,5% no varejo.

“Continuamos avançando de forma acelerada na nossa estratégia digital. Anualizada, a receita digital já supera a marca de R$ 3 bilhões. Somos líderes de mercado tanto no mundo físico como no digital, com um número de acessos via web que representa mais do que a soma dos nossos cinco principais concorrentes, além de termos também o mix mais moderno de canais do mercado, com os aplicativos já respondendo por 51% da venda digital e o televendas representando apenas 3% do total. Por fim, 93% das vendas digitais foram atendidas pelas lojas, incluindo o Compre & Retire, que representou 51% das vendas digitais”, explica o CEO Marcílio Pousada.

“A digitalização da relação com os clientes é fundamental para a nossa estratégia, uma vez que os clientes que passam a utilizar os canais digitais aumentam o seu gasto na rede entre 20% e 25%, impulsionando o crescimento das nossas lojas maduras, e passam também a se conectar aos três pilares da nossa estratégia: a Nova Farmácia, o Marketplace e a Plataforma de Saúde”, completa o CEO.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress