Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Geração de caixa da Panvel será prioridade para 2023

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

geração de caixa da Panvel
Divulgação: Panvel

Depois de investimentos de R$ 180 milhões em expansão no ano passado, a geração de caixa da Panvel será a prioridade da rede em 2023. Para isso, inclusive, o grupo deve reduzir gastos em áreas como logística.

A informação é do CFO Antônio Napp, em entrevista ao portal InfoMoney. “Quando a gente olha para o cenário de 2023, o nosso investimento total será menor do que o de 2022”, declarou.

O ritmo de expansão de lojas deve continuar, mas com foco restrito ao Sul do país. A rede administra pouco mais de 400 PDVs nos três estados da região – Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina –, além da capital paulista.

Em 2022, a Panvel inaugurou 60 unidades, mesmo volume de aberturas registrado em 2021. De acordo com cálculos de Napp, a rede empenha em torno de R$ 1 milhão para cada nova loja, além de R$ 500 mil a R$ 600 mil para abastecer o estoque. Atualmente, já detém mais de 20% de share no Rio Grande do Sul, enquanto a participação chega a 6% em Paraná e Santa Catarina.

“O crescimento orgânico, via de regra, é um crescimento que te oferece melhores oportunidades de retorno do que um M&A”, afirmou, apesar de não destacar novas oportunidades de negócio.

Geração de caixa da Panvel deve acelerar em 2024

A partir de 2024, a geração de caixa da Panvel deve se intensificar ainda mais, em função do estágio de maturação das lojas abertas. “Provavelmente, em algum momento de 2024 e 2025 a gente volta a ter caixa positivo e aí o juro alto ou o juro baixo passam a não ter mais impacto realmente dentro da nossa demonstração do resultado do exercício”, destacou.

Esse movimento ganha ainda mais força depois de expressivos aportes na melhoria da capacidade operacional. Um dos mais recentes investimentos foi a inauguração do centro de distribuição na cidade de Eldorado do Sul, na Região Metropolitana de Porto Alegre.

A operação do novo complexo será suficiente para sustentar a expansão da rede de farmácias e também da divisão do atacado pelos próximos cinco anos. O CD tem ao todo 11 mil posições de paletes.

“No complexo anterior, tínhamos menos de 5 mil, com separação de 500 mil unidades todos os dias. Com o investimento, vamos nos capacitar para chegar a um milhão de itens, como uma caixa de remédio ou um frasco de xampu, separados aqui e entregues em todas as lojas e clientes da distribuidora”, comenta o diretor de operações Roberto Coimbra.

Notícias mais lidas

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress